Douro Rock: 2 dias made in Portugal

0
68

De 10 a 11 de agosto o Douro, para além de vinhateiro, também é festivaleiro!

As margens do rio, junto à cidade do Peso da Régua, Vila Real, são o palco e cenário idílico do Douro Rock.

O festival, que já vai na sua 3ª edição, tem muito boas expectativas para este ano e continua a apostar na música made in Portugal. O cartaz continua inteiramente nacional, variado em géneros musicais (desde rock e indie passando pelo pop, soul e hip-hop)  e em gerações – falamos de nomes como Xutos & Pontapés, The Legendary Tigerman, The Gift, Samuel Úria, Frankie Chavez, The Twist Connection, Mishlawi e Kappa Jotta.

De acordo com Miguel Candeias, elemento da organização do evento, esperam-se dias de animação para toda a família. “Vão ser dois dias de muita felicidade. Tudo se coaduna para que seja uma festa simpática e saudável. Aquilo que mais prazer me dá é olhar para o público e ver o avô, a avó, a mãe, a prima, o tio, a tia… Esta personalidade própria e alternativa é um reforço positivo a todo o ambiente do festival!”

Para além de promover a música portuguesa, a premissa do festival passa ainda por divulgar a gastronomia e os vinhos desta região, que é a primeira a ser demarcada e regulamentada do mundo (classificada como Património Mundial da UNESCO em 2001). “São dois, os grande vetores do festival. Primeiro, não havia um festival com esta envergadura aqui na zona. Mas, muito para além disso,  também temos outro objectivo: promover esta região lindíssima. Queremos que a visita das pessoas não se fique pelo festival. Que vão dar uma voltinha, visitem as quintas, as paisagens, o turismo, provem o vinho!”

Os bilhetes estão à venda e custam 15 euros (preço único para os dois dias). Dão acesso gratuito ao parque de campismo e garantia de serões bem passados: um bom soundtrack e um cenário paradisíaco, que mais pedir? É caso para citar Miguel Candeias: “Se, por si só, a região já requer e merece uma visita, a boa música portuguesa é ainda mais um pretexto”!

[Foto: Douro Rock]

Comente este artigo

Please enter your comment!
Please enter your name here