E viveram felizes para sempre…

0
1315

No Dia dos Namorados, Denise Sequeira declarou-se… Ao Diretor do Grupo Jerónimo Martins, do qual fazem parte os hipermercados Pingo Doce. “Amo o Jerónimo” foi a forma que a jovem encontrou de entregar, à porta da empresa, a sua carta de apresentação diferente e ao jeito de uma carta de amor.

Um amor que mereceu um site e uma página de Facebook e que foi notícia nos jornais e na televisão. A jovem queria, desta forma, no mínimo original, candidatar-se ao programa de trainnes do grupo. A melhor parte é que esta história de amor, tal como nos contos de fadas, teve um final feliz: Denise foi contratada pela empresa.

Quem é a Denise, para além de uma apaixonada pelo Grupo Jerónimo?

A Denise é uma pessoa bem-disposta e sorridente que acredita que nada é impossível quando se tem a vontade e a disposição para lutar.

De onde é que veio a ideia para a iniciativa “Amo o Jerónimo”?

Em setembro do ano passado tomei conhecimento do programa de trainees da Jerónimo Martins e, nessa altura, decidi que iria concorrer. Esta ideia surgiu da necessidade de fazer algo diferente. Eu sabia que queria trabalhar na área de gestão de produto e que a Jerónimo Martins era a empresa ideal e, apesar de achar que tinha as competências necessárias, não tinha qualquer experiência nem formação, por isso, enviar um CV não seria o suficiente para chegar a uma entrevista.

Porquê uma carta de apresentação em forma de carta de amor?

Sabendo que tinha que fazer algo mais do que um simples CV com carta de apresentação, começou o desafio. Consultando o site da Jerónimo Martins podemos ler a seguinte frase, associada à diretora de Recursos Humanos, “Procuramos pessoas apaixonadas, altamente motivadas, disponíveis para aprender e inovar”. Uma carta de amor era uma forma de me poder apresentar e mostrar a minha paixão pela filosofia da empresa.

É preciso ter, mais do que nunca, ideias originais e chegar às empresas de forma diferente…

Sem dúvida. Estamos num país onde cada vez é maior o número de licenciados e profissionais com experiência desempregados, o que reduz o tempo que o recrutador tem para olhar para o teu CV e a probabilidade de te chamar. Uma ideia diferente não te garante o emprego, mas pode garantir a oportunidade de conseguires uma entrevista.

A tua integração na empresa é a prova de que há histórias de amor com finais felizes. Como é que aconteceu este desfecho?

As cartas que distribuí criaram um efeito viral dentro da empresa chegando aos recursos humanos. Nesse mesmo dia, ligaram-me e marcaram uma primeira entrevista que se seguiu de outra. Passados dois meses, surgiu esta vaga e a proposta para integrar a empresa.

Há muitos que pensam que isto não passou de uma ação de Marketing da Jerónimo Martins…

Eu decidi que o dia ideal para entregar as cartas de amor seria o Dia dos Namorados. Como é comum a Jerónimo Martins fazer ações para os seus colaboradores e, dada a temática do dia, houve quem achasse que se tratava disso mas ao abrirem a carta percebiam que era algo diferente.

Sentes que és uma inspiração para muitos jovens que estão cansados de enviar CV’s sem resposta?

Gostava que esta história, mais que uma inspiração, fosse um ’empurrão’ para os jovens não terem receio de serem audaciosos e perseguirem os seus sonhos.

Ou entras na onda ou ficas a ver navios!
Em tempo de muita procura e pouca oferta, há que primar pela diferença. Por isso, se estás à procuras de trabalho, trata de por mãos à obra! Se és dado a Tecnologias, faz uma página na Internet que te apresente de uma forma dinâmica.

E vídeo? Tens jeito para editar ou tens um amigo que está na área do Audiovisual? Então pede-lhe uma ajuda e mostra-te às empresas, não ao vivo, mas a cores. As entidades empregadores vão gostar da originalidade! Cada vez mais, nos chegam ideias completamente inspiradoras. Há quem envie o seu CV como se de um perfil de Facebook se tratasse e há, também, quem o faça estampando a sua fotografia e a sua formação numa capa de revista ou até (imaginem só) em papel higiénico.

Outra moda que já pegou foi a de ir para a rua ou para a porta das empresas com ações de ‘marketing’. As ideias não se esgotam e há quem se envie, a si próprio, para as empresas, dentro de uma caixa. Inspira-te e sê original! Boa sorte!

[Foto: Cedida pela entrevistada]

Comente este artigo

Please enter your comment!
Please enter your name here