Quanto valem os farmacêuticos em Portugal?

0
727

Maurício Barbosa, Bastonário da Ordem dos Farmacêuticos, João Silveira e Carvalho Guerra, ex-bastonários da Ordem dos Farmacêuticos, e Alberto Caldas Afonso, conselheiro da Ordem dos Médicos, vão debater no Salão Nobre da Universidade do Porto (U.Porto), o papel dos farmacêuticos no serviço nacional de saúde. O encontro acontece já no próximo dia 13 de dezembro.

O debate será moderado pelo jornalista Júlio Magalhães e marcará o encerramento da homenagem que a U.Porto prestou a Aníbal Cunha (1868-1931), farmacêutico, militar, participante da revolta republicana de 31 de Janeiro de 1891, pedagogo e figura ímpar na história da instituição e na autonomização do ensino da Farmácia em Portugal.

Natural do Porto, Aníbal Cunha notabilizou-se em 1891, ao participar na tentativa de revolta republicana de 31 de Janeiro, após a qual foi obrigado ao exílio em Espanha e no Brasil. Regressado a Portugal, termina os seus estudos na Escola de Farmácia com média de 19 valores. Em 1911, ano da fundação da U.Porto, torna-se o 1º assistente da escola, onde acabaria por ter um papel determinante na autonomização do ensino da Farmácia, um processo que culmina em 1921, com a transformação da Escola em Faculdade. Enquanto diretor da FFUP e vice-reitor da U.Porto, Aníbal Cunha desempenhou um papel decisivo na construção do edifício que acolheu a faculdade durante 94 anos (1918-2012), papel reconhecido com a atribuição do seu nome à rua onde se encontra o edifício.

[Foto: U.Porto]

Partilhar

Comente este artigo

Please enter your comment!
Please enter your name here

*