Consultas de boca em boca

2
15702

Acordar com o maxilar inchado, sentir um dente do siso a latejar ainda escondido por baixo da gengiva, descobrir uma cárie que nos tira do sério ou a necessidade duma destartarização para devolver o branco ao sorriso… Tudo isto são motivos para uma visita ao dentista. Mas em tempos de crise, sabias que a solução pode passar por uma uma visita à Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de Lisboa (FMDUL)? Aqui há consultas para todos os gostos, bolsos e especialidades.

“Os mais velhotes não se importam de passar a manhã toda com os alunos”, começa por explicar João Aquino Marques, o Diretor da FMDUL, que pacientemente nos dá conta das modalidades de consultas existentes na instituição e ao alcance de qualquer pessoa: “primeiro há a chamada consulta mais generalista, que é a consulta externa, dada por médicos dentistas e higienistas orais já formados/graduados, e cujos preços rondam os praticados no mercado. Depois, existem as consultas pré-graduadas, dadas por alunos finalistas que ainda não são (mas estão prestes a ser) médicos dentistas e higienistas orais. E aqui os preços da consulta são mais baixos do que os praticados na consulta externa. Por fim, possuímos ainda o serviço de consultas de pós-graduação. Estas são consultas de especialidade destinadas a casos mais complexos ou mais difíceis que requerem tratamentos mais específicos. Aqui o valor da consulta é ligeiramente mais alto do que o da consulta externa”.

A tamanha oferta pode causar alguma confusão inicial, mas o que é certo é que basta uma chamada do paciente para que o seu caso seja devidamente encaminhado para quem de direito. O mais curioso, como comenta João Aquino Marques, é que “os públicos são claramente distintos” e há uma razão para isso. “Quem aparece nas consultas pré-graduadas, dadas pelos alunos, são pessoas com grande disponibilidade de tempo, geralmente reformadas, pois como estão a aprender, os alunos demoram mais algum tempo do que o normal com os doentes… Mas estas pessoas não se importam e até voltam mais vezes, criando-se ali até uma relação carinhosa”. No caso das consultas externas/graduadas, quem aparece são as pessoas mais dinâmicas e com rotinas de trabalho bem delineadas, continua o diretor da FMDUL: “ao ter três períodos de funcionamento durante a semana (manhã, tarde e noite), possuindo também consultas ao sábado (manhã e tarde), estas são consultas muito concorridas para quem opta pelo horário pós-laboral”. João Aquino Marques acrescenta que aqui também se incluem os estudantes universitários – “até por causa dos horários e porque estudam aqui perto, preferem esta consulta externa para ser mais rápido”.

FMDUL2
A fotografia foge à regra… Já que 80% dos estudantes da FMDUL são raparigas.

“Quem vai às consultas dos alunos não é cobaia”

A ideia pode parecer tentadora, mas não passa dum mito urbano, já que a FMDUL coloca os seus alunos finalistas em consultas que não são mais do que verdadeiras aulas práticas. Assim, e caso apareças para tratar do teu sorriso na faculdade, apenas terás profissionais ou alunos finalistas – sempre seguidos meticulosamente por profissionais de cada disciplina – a mexerem-te na boca. Fica, portanto, descansado, como refere o Diretor da FMDUL: “estamos a falar de alunos tutelados e com vários anos de formação teórica. Nos caso do Mestrado Integrado em Medicina Dentária, trata-se dos alunos dos 4º e 5º anos. Nas licenciaturas de Higiene Oral, são alunos do 3º ano os que estão a ver os doentes… Logo, a resposta é não, quem vai às consultas dos alunos não é cobaia”. A teimar nas mais-valias de usufruir dos serviços de Medicina Dentária em ambiente académico está o facto de serem vários os estudos a comprovar que as pessoas, mesmo sabendo que os estudantes ainda não têm a formação completa, acudem a estas consultas. “Isto acontece um pouco por todo o mundo e assenta na ideia de que é precisamente nas universidades que se ensinam as boas práticas. O raciocínio é lógico”, termina João Aquino Marques, referindo que as vantagens passam ainda pela existência de equipas multidisciplinares, ao contrário do que acontece com outros sítios, onde cada profissional só faz uma coisa e se dedica exclusivamente a uma especialidade – “nem sempre as pessoas gostam muito disso… E valorizam também a relação de confiança médico-doente e a continuidade do tratamento, mediante as situações que vão surgindo”.

Quanto vale uma boca sã?

A crise não pode ser desculpa para não tratar da boca, embora sejam cada vez mais as pessoas que “desmarcam e faltam às consultas” por falta de dinheiro, refere o Diretor da FMDUL. Além de apresentar serviços de Medicina Dentária e Higiene Oral muito variados (sem esquecer o contributos dos alunos do curso de Licenciatura de Prótese dentária que contribuem mais indiretamente nas consultas), a faculdade presta toda uma gama de serviços na área da Medicina Oral. “Por vezes, quando falamos da boca, pensamos só em dentes e aparelhos… Mas há todas aquelas lesões que são raras, o cancro oral manifestado por feridas que não cicatrizam, as aftas, as úlceras, as doenças infeciosas e uma variedade enorme de doenças gerais que se manifestam na boca”, refere João Aquino Marques, sublinhando a importância da boca e do seu pleno bem-estar, numa “sociedade cada vez mais estiticofútil”.

Precisas duma consulta?

Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de Lisboa (FMDUL)
Cidade Universitária (Metro Cidade Universitária)
1649-003 Lisboa
Telefone: 21 792 26 00 | 21 792 26 71
Fax: 21 795 79 05
E-mail: consultas@fmd.ul.pt
Horário de funcionamento: Segunda a sexta-feira (8:30h – 17h)

Catarina Bernardes
Catarina Bernardes está quase de malas aviadas para ao Reino Unido.

“Há muitos médicos dentistas no Reino Unido”
Catarina Bernardes terminou o Mestrado Integrado em Medicina Dentária em junho passado e não perdeu tempo: “Surgiu a oportunidade de ir trabalhar para o Reino Unido, através da Denticare, e como as coisas por cá não estão famosas, decidi arriscar – até porque tinha colegas meus que já lá a trabalhar e o feedback era muito positivo”. Catarina troca, em fevereiro, Portugal pelo Reino Unido e não está nervosa. Espera fazer novos amigos e melhorar o CV com esta oportunidade que lhe apareceu. Até lá, vai ter todo o apoio da faculdade onde estudou, para poder ficar ainda mais bem preparada para os desafios profissionais vindouros além-fronteiras.

Mariana Vaz
Mariana Vaz acolhe cada novo paciente com um enorme sorriso.

“O aparelho mudou-me a vida!”
Mariana Vaz frequenta o 4º ano do Mestrado Integrado em Medicina Dentária e está muito feliz, pois já atendeu os seus primeiros pacientes na faculdade. A vocação não podia ser outra senão tratar do sorriso das pessoas, confirma a aluna, enquanto ganha coragem para contar o seu pequeno segredo: “usei aparelho por alturas do 9º ano e isso marcou-me muito. Descobri que mudar um sorriso pode mudar a nossa vida toda… E pode ser a porta de entrada para tanta coisa pessoal e profissional. Portanto, e por causa disso, nunca tive dúvidas do que queria seguir”.
Mariana já fez prescrição de medicamentos, desvitalizações e extraiu até um dente, neste seu primeiro contacto mais prático com os pacientes. A futura médica dentista confessa que não custou nada e que até gostou! “Este regime de voluntariado prático é muito importante para nós alunos, pois permite-nos contactar com várias situações que depois nos poderão aparecer pela vida profissional fora, com a vantagem de que aqui estamos em ambiente académico e, sempre que precisarmos, temos professores a quem recorrer para tirar dúvidas. Para as pessoas, também há imensas vantagens, a começar pelo preço muito mais baixo das consultas – além disso, também somos muito simpáticos e temos muita paciência para dar (risos)”, diz Mariana, referindo que os mais velhotes adoram a companhia dos alunos e aparecem lá muitas vezes para usufruírem dos seus serviços e companhia.

[Foto: Bruna Pereira]

Partilhar

2 COMENTÁRIOS

  1. Gostava de arranjar a minha boca mas tenho muitas deficuldades gostaria de saber como posso fazer tenho tres filhotes a vida nao esta facial gostaria de xaber como posso fazer para arranjar a minha boca obrigada aguardo

    • Ola boa tarde sou o diogo tenho a boca estragada nao tenho dentes na parte de tras e so tenho 23 anos ….nao tenho possiblidades em arranjar tenho um filha com 2 anos e primeiro tenho que pensar nela primeiro por isso e que nunca os arranjei sera que me podiam ajudar???

Comente este artigo

Please enter your comment!
Please enter your name here

*