Antes de partir… Faz as contas

0
750

Criado em 1987, o Programa Erasmus já mudou a vida a cerca de três milhões de alunos. Não te vou contar a história de Erasmo de Roterdão, nem sequer do programa. Já ouviste falar dele e já sonhas com a ideia, não é verdade? Venho apenas alertar que, se queres ser o próximo português a entrar neste ou noutro programa de mobilidade, faz primeiro as contas.

Com as finanças controladas e um orçamento estipulado do qual não te vais desviar, só terás que aprender, divertir-te, conhecer uma nova cultura e, claro, acumular experiências e memórias.
A escolha do país de destino terá a ver com o teu curso, primeiro, e com o teu gosto, depois. Antes de escolher, pensa no dinheiro que terás ao teu dispor e recolhe dados sobre o custo de vida dos países que gostavas de conhecer. Talvez só tenhas orçamento para um país menos dispendioso, não significando isso que tenhas uma experiência menos enriquecedora. Quer estejas de partida para Espanha, Eslovénia ou Suécia, informa-te antes de ir. É que terás que planear tudo para que o dinheiro que tens seja suficiente para não estares sempre a pensar nele.

De modo a determinares o teu orçamento mensal deves somar todo o dinheiro que tens ou que sabes que vais receber. A bolsa a que terás direito, algum dinheiro que os teus pais ou outros familiares te possam dar e algum dinheiro que tenhas de parte ou que saibas que irás receber como, por exemplo, um presente de aniversário. Depois, deves calcular os gastos que ao longo da tua estada. Nesta busca, a internet pode ser a tua melhor amiga.

Usa o vasto universo da internet para saber os preços dos produtos na cidade para onde vais. Tudo conta, desde um bilhete nos transportes públicos até ao preço de um simples café. Calcula depois o valor médio que vais gastar. Estas contas poderão sofrer ajustes quando já estiveres no país, mas serão o ponto de partida. Conta com a ajuda dos outros estudantes portugueses. Podem, em conjunto, fazer planos de gastos e ajudar-se uns aos outros a cumpri-los.

Se possível, porque o objetivo da experiência não é só estudar, mas também conhecer uma nova cultura, guarda dinheiro para ir ao cinema, aos museus e para sair à noite. Se fizeres o “trabalho de casa”, verás que o teu orçamento é suficiente para te ajudar a ter um ano ou semestre inesquecível.

SOBRE A AUTORA DESTE TEXTO

Susana Albuquerque é Secretária-Geral e coordenadora do Programa de Educação Financeira da ASFAC – Associação de Instituições de Crédito Especializado. A também autora do livro “Independência Financeira para Mulheres” colabora mensalmente na revista Mais Superior para te dar dicas práticas que poderás aplicar no teu dia-a-dia.

Partilhar

Comente este artigo

Please enter your comment!
Please enter your name here

*