A rir se desenha a nossa História

0
2334

‘Há imagens que valem mais do que mil palavras’, estás farto de ouvir. E há caricaturas que valem mais do que mil imagens, não concordas? O World Press Cartoon reúne pela oitava vez as melhores caricaturas publicadas na imprensa mundial ao longo do ano e tem verdadeiras relíquias. Até 30 de julho, podes ir ao Museu de Arte Moderna, em Sintra, e ver a atualidade com um sorriso à solta.

Os temas com que mais vezes te vais deparar são, obviamente, os que marcaram o ano de 2011 – há a polémica com o antigo diretor do FMI Dominique Strauss-Khan (mais que uma vez envolvido em escândalos sexuais), há a malfadada crise económica (com especial destaque para o duo Angela Merkel/Nicolas Sarkozy, responsáveis, respetivamente, pelos governos alemão e francês), há a triste explosão na central nuclear de Fukushima (que se seguiu a um tremendo tsunami e sismo no Japão) e há a “Primavera Árabe” (a designação que conheceram as revoltas populares contra alguns regimes do Médio Oriente e do Norte de África).

Na verdade, há até muito mais do que isso, uma infinidade de temas e ideias em mais de 300 desenhos selecionados, de 55 países. Usbequistão, Maurícia, Indonésia, Filipinas, Burkina Faso ou Bangladesh, só para referir os mais exóticos, são alguns dos locais representados em Sintra. No entanto, no que toca a grandes vencedores do World Press Cartoon 2012, os países de origem são bem mais conhecidos. Aristides Hernandez, mais conhecido por Ares, é cubano e o seu trabalho mostra um ataque aéreo, onde as bombas ganham a forma de tochas da estátua da Liberdade. O cartoon foi publicado no jornal “Juventud Rebelde”, em outubro de 2011. Já Egil Nyhus vem da Noruega e desenhou Strauss-Khan em forma de porquinho mealheiro, metido numa cela, na altura para o jornal norueguês “Romenikes Blad”. Um e outro repartem o prémio final (Grand Prix), no valor de 20.000 euros.

Tochas Cartoon
As bombas da liberdade, uma obra de Ares

Nove premiados

Para além deste Grand Prix, os troféus estão divididos em três categorias: Editorial, para questões e acontecimentos da atualidade, Caricatura, para retratos humorísticos e Humor, para temas que não se relacionem diretamente com a atualidade. Em cada uma delas, há também três premiados.

Ares ganhou a respetiva categoria (Editorial), seguido de um espanhol, David Vela, que pegou na obra do pintor Eugène Delacroix “A Liberdade Guiando o Povo”, alusivo à Revolução Francesa, e criou “O Blackberry Guiando o Povo”, aludindo ao papel das tecnologias nas ‘novas revoluções’. Quanto ao terceiro prémio, foi atribuído ao sérvio Goran Divac, que colocou uma foice e um martelo, símbolos associados ao comunismo, no lugar dos talheres, à mesa.

Blackberry Cartoon
Um dos artistas espanhóis premiados, David Vela, fez “O Blackberry Guiando o Povo”

Na Caricatura, atrás do porquinho de Egil Nyhus, vem o espanhol Javier Carbajo Alfonso, pelo seu trabalho “Irmãos Windsor”, caricaturando os princípes da família real inglesa, William e Harry. O pódio desta categoria fica fechado com mais um nórdico, Riber Hansson, sueco que fez de Berlusconi um peixe e o colocou dentro de um apropriado aquário.

Príncipes Cartoon
Os irmãos da realeza britânica, por Javier Alfonso

Por fim, na categoria Humor, ficou em primeiro lugar o trabalho intitulado “Ecologia”, da autoria do romeno Pavel Constantin, que mostra um conjunto de animais em círculo, numa espécie de congresso universal (com as bandeiras dos vários países à frente), sentados em barris com a indicação de conterem substâncias nucleares. Omar Turcios, colombiano, quedou-se pela segunda posição, com uma “Radiografia” ao ser humano, onde se desenha a forma de um macaco, com uma banana no lugar onde costuma estar o cérebro. Agim Sulaj, albanês, com o seu “Crianças de África”, onde uma criança se prepara para ser engolida por uma garrafa de água em forma de tubarão, foi o último premiado da categoria.

Africa Children Cartoon
Agim Sulaj é o autor de “Crianças em África”

Última chamada

As obras de arte e o talento, obviamente, não ficam por aqui e, por isso, o melhor mesmo é ires à exposição, que foi aberta ao público no dia 21 de abril e que assim continuará até ao final deste mês de julho. A entrada é livre, a oferta é boa e o local também. De terça a sexta-feira das 12h às 18h e aos sábados, domingos e feriados das 10h às 12h, o mundo é visto com um olhar satírico, através de desenhos onde o humor, mordaz e arrojado, é condição obrigatória, num resumo diferente daquilo que foi o percurso do Homem em 2011.

World Press Cartoon 2012 - Sintra
A exposição decorre até ao final do mês

[Fotos: facebook.com/pages/World-Press-Cartoon]

Partilhar

Comente este artigo

Please enter your comment!
Please enter your name here

*