Tão depressa aparecem… Como desaparecem

0
1758

Para os amantes da correspondência ilustrada, os que não dispensam um marcador de livros original ou até os que preferem escrever num postal catita uma declaração de amor bem personalizada… É para todos esses que acreditam bastar um pequeno gesto para alegrar o dia que a Postalfree ressuscita o fascínio pelos postais.

A Postalfree nasceu no final de 1999, “com o objetivo de permitir às entidades culturais um novo suporte de comunicação para a sua divulgação, direcionado ao seu target, com um destaque invulgar e a baixo custo”, começa por explicar Sofia Pinto Coelho, a Diretora Geral da Postalfree. No entanto, em plena era onde a tecnologia e uma parafernália de gadgets imperam, o postal pode mesmo ser uma forma privilegiada de veicular informação, garante ainda: “a Postalfree continua na moda porque é um suporte dinâmico e funciona de forma totalmente voluntária. O público aproxima-se dos expositores e escolhe de forma privilegiada a informação que lhe interessa, não existindo desperdício”.

Sofia Postalfree
"A Postalfree continua na moda porque é um suporte dinâmico e funciona de forma totalmente voluntária", diz Sofia Pinto Coelho.

A Postalfree dispõe duma rede de expositores em 450 locais, chegando às principais cidades do país, como refere a sua Diretora Geral: “estamos em Lisboa, Porto, Braga, Aveiro, Coimbra, Leiria, Caldas Rainha, Évora, Beja, Faro, Tavira, Loulé, Vilamoura, Carvoeiro, Portimão, Armação de Pêra, Vila Real de Santo António e, na Ilha da Madeira, estamos também no Funchal”. Para garantir que os postais são apreciados e retirados pelos consumidores certos e nos locais mais apropriados, a Postalfree possui quatro circuitos temáticos: o ‘Plus’ (Teatros, Restaurantes e Centros Culturais); o ‘Ócio’ (Bares, Cafés e Discotecas); o ‘Ensino’ (Universidades, Escolas e Institutos) e o ‘Cinemas’, que, tal como o nome indica, está presente em cinemas de todo o país. Uma vez escolhido o circuito e a campanha, o postal é retirado voluntariamente pelo público e o número de pessoas envolvidas multiplica-se, graças aos diferentes usos que se lhe podem dar (enviá-lo por correio; colá-lo num caderno ou numa parede; mostrá-lo aos amigos…). No final, uma caixa de expositor vazia significa que houve êxito na campanha Postalfree.

O negócio dos postais

Há campanhas de prevenção rodoviária, publicidade a filmes, a concursos, anúncios a marcas diversas… E o resultado pode ser ser gratuitamente levado por qualquer pessoa. Mas como funciona afinal este negócio e quem paga tanto papel grátis para o consumidor? “Temos clientes de todo o tipo e uma equipa criativa que pode apresentar excelentes soluções de design. O cliente surpreende-se com o baixo custo de uma campanha e com a elevada taxa de retorno e o público adora retirar postais grátis, podendo utilizá-los de diversas formas, sendo a taxa de recordação elevada”, explica Sofia, sublinhando que “a Postalfree é um anuncio gratuito para o consumidor, que, como qualquer outro, quem paga é o anunciante”.

Postalfree Morte

Se já te aconteceu veres um modelo de postal que, na altura de ires procurar no expositor mais próximo de ti, já tinha desaparecido, Sofia Pinto Coelho responde: “Temos campanhas que desaparecem dos expositores num ápice. Ou pelo teor ou pela criatividade”. Tendo em conta que o feedback é dado pelo consumidor ao retirar o postal, “frequentemente, o público pede-nos para reimprimir campanhas mas a decisão depende sempre do budget do cliente”, remata a Diretora Geral da Postalfree, acrescentando que “o que acontece é o cliente acreditar no suporte e repetir as campanhas para outros produtos”.

Como não podia deixar de ser, a Mais Superior perguntou a Sofia Pinto Coelho se há algum postal que a tivesse marcado mais… Mas, no final de 12 anos de criatividade em tamanho A6, a escolha torna-se difícil: “regra geral, o nosso suporte proporciona um design original, pelo que é difícil escolher um postal entre milhares. Lembro-me de todos os postais desde o primeiro dia e tenho uma história para cada um deles”.

Postalfree Pai

Postais com História

Sabias que as primeiras cartas com forma de postal surgiram na China, mas o primeiro cartão postal foi emitido no século XIX? E que o primeiro postal publicitário surgiu na Inglaterra, em 1872? Herdeira dessa tradição centenária, a Postalfree tem capacidade para colocar até 100 mil postais por anunciante, numa campanha com 15 dias de duração. Sabe mais aqui.

[Foto: Postafree]

Partilhar

Comente este artigo

Please enter your comment!
Please enter your name here

*