Trabalhar menos faz-te mais feliz?

0
701

Não respondas já que sim. Todos sabemos que o descanso faz bem ao corpo e à mente, mas a felicidade também pode (deve) vir do trabalho que desenvolvemos. O estudo da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra (FEUC) tentou apurar quais os efeitos negativos do aumento do número de horas de trabalho. Mulheres e cidadãos de esquerda (ideologicamente falando) são os mais afetados.

Foi desenvolvido nos últimos três anos, através de informação recolhida junto de aproximadamente 34 mil trabalhadores, de ambos os sexos e de várias idades, num estudo europeu realizado em 24 países (1034 dos inquiridos são portugueses). A investigação avaliou a relação entre as horas de trabalho e o bem-estar dos empregados e apurou que “trabalhar mais horas pode ter efeitos negativos mais fortes ou mais ligeiros no bem-estar dos indivíduos, dependendo das características ou das situações em que estes se encontram. Por exemplo, as pessoas que têm mais autonomia no trabalho não sofrem tanto com um aumento do número de horas de trabalho”, afirma Filipe Coelho, um dos investigadores.

O estudo revela também que os imigrantes reagem melhor ao facto de terem mais horas de trabalho, o que é explicado por Filipe Coelho com a maior envolvência social dos cidadãos que trabalham no país de origem: “a sua vida é muito mais preenchida, por exemplo, pela família, pelos amigos, e por outras atividades de cariz social. As pessoas oriundas de outros países não só não têm tanta interação social, como estão muitas vezes focalizadas na melhoria da sua situação financeira, e trabalhar mais horas pode ser muito positivo nesse aspeto”.

Prós e contras do trabalhador

Como em quase tudo, há vantagens e desvantagens no aumento da carga horária. Os autores salientam que vários estudos apontam para problemas relacionados com o maior número de horas de expediente, como os acidentes de trabalho, problemas de saúde, cansaço físico e mental e estilos de vida menos saudáveis. No entanto, progredir na carreira e auferir maiores salários são claramente benefícios desse aumento.

Para as empresas, os resultados podem ser muito interessantes já que “estas estão muito interessadas em maximizar a produtividade dos seus colaboradores. O estudo dá pistas para redesenhar horários de trabalho em função do sexo, idade e outras características dos colaboradores, por forma a aumentar a sua qualidade de vida, bem como para desenvolver práticas organizacionais que tornem mais aceitável um aumento das horas de trabalho”, conclui o investigador.

[Foto: University of Salford @ flickr.com]

Partilhar

Comente este artigo

Please enter your comment!
Please enter your name here

*