Bate, bate, coração

0
1044

Uma equipa de investigadores da Universidade de Coimbra (UC), liderada por Henrique Girão, identificou um mecanismo responsável pela redução da comunicação entre células do coração. Os resultados do estudo foram já publicados na prestigiada revista Molecular Biology of the Cell e abrem caminho para a descoberta da origem de várias patologias.

A investigação demonstra que a ubiquitina assume o papel principal na degradação da conexina43 (Cx43), a proteína que assegura a comunicação rápida e eficaz entre a maioria das células, contribuindo para o normal funcionamento de órgãos e tecidos. No caso do coração, estes canais são importantes pois asseguram a propagação rápida de um sinal, que está na origem do batimento cardíaco. Assim, alterações na comunicação entre células cardíacas, mediada pela Cx43, poderão estar na origem de várias patologias, como por exemplo, doença coronária, insuficiência cardíaca, arritmias e enfarte.

Henrique Girão, coordenador da equipa que integra cardiologistas do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) e uma investigadora da Universidade de Einstein, Nova Iorque, explica que “a grande novidade do estudo foi demonstrar que uma via de degradação denominado autofagia participa na degradação da Conexina43 presente na membrana plasmática das células, e que a ubiquitina tem um papel regulador neste processo. Esta via de degradação é ativada, por exemplo, em células sujeitas a privação de nutrientes, que acontece quando não há um aporte adequado de sangue aos tecidos – isquémia”.

[Foto: Universidade de Coimbra]

 

Partilhar

Comente este artigo

Please enter your comment!
Please enter your name here