GPL: factos e mitos sobre os carros a gás

1
7853

O entendimento dos partidos no parlamento é generalizado, a discriminação legislativa dos veículos movidos a Gás Petrolífero Liquefeito (GPL) tem os dias contados. Tudo indica que até ao final do ano deixará de ser proibido o estacionamento de veículos GPL em parques subterrâneos, sendo também intenção do parlamento acabar com a obrigatoriedade do uso de dístico de identificação nas viaturas. Será uma boa medida? Foi isso que a Mais Superior e o Razão Automóvel foram tentar descobrir.

Há uma série de mitos urbanos que ao longo dos anos têm feito os condutores fugirem dos veículos a GPL, como o diabo foge da cruz. Um dos mitos mais comuns é de que os carros a GPL podem explodir. Felizmente isso não é verdade, portanto escusam de chamar a brigada de minas e armadilhas da GNR, na eventualidade de verem um carro a GPL parado à porta de vossa casa… Descansem, é seguro. Sabiam que em toda a Europa, apenas em Portugal e na Hungria, existem restrições à circulação deste tipo de veículos?
Para além de ser um combustível tão seguro quanto a gasolina, a opção do GPL face aos combustíveis convencionais acarreta uma vantagem que nos dias de hoje não é, de todo, de desperdiçar. Essa vantagem tem um nome: poupança.

Embora seja verdade que os veículos movidos a GPL têm um consumo marginalmente superior aos movidos a combustível convencional, também é verdade que o preço do litro de GPL, comparativamente à gasolina, é manifestamente inferior. Atualmente o GPL é vendido a metade do preço da gasolina 95. Ou seja, com praticamente metade do que gastas atualmente em combustível podes andar o dobro de carro. Ou em alternativa, poupar para aquele projeto que tanto queres realizar. Nada mau ah?

Depois há ainda um conjunto de outras vantagens que não podemos ignorar. Nomeadamente a nível ambiental – os veículos movidos a GPL emitem menos gases poluentes – e a nível da própria durabilidade do automóvel. O GPL por ser um combustível mais refinado, liberta menos impurezas para os órgãos mecânicos do motor, aumentando a sua longevidade.

Não penses no entanto que a alternativa GPL não tem desvantagens, porque tem, felizmente são cada vez menos. A rede de postos de abastecimento GPL são em menor quantidade do que a rede de postos de abastecimento para gasolina, no entanto já cobrem a totalidade do território nacional. A segunda grande desvantagem – as restrições ao estacionamento e obrigatoriedade de dístico – parece que têm os dias contados. Por último, há ainda o problema dos custos da montagem do kit GPL, que são elevados e que obrigam à imobilização do veículo durante o período de instalação. É no entanto um custo que a médio longo prazo compensa através da poupança no combustível. Em alternativa, há já algumas marcas que têm na sua gama carros que podem ser adquiridos já com o kit GPL instalado. E agora, ainda receias o GPL?

Quatro mitos sobre o GPL

1. Reservatórios de GPL explodem – FALSO
Muitos condutores mantêm reservas sobre o GPL. E um dos principais argumentos é o receio de que o reservatório expluda em caso de acidente.

2. Estraga o motor dos carros – FALSO
O GPL é um combustível com menos impurezas que a gasolina, pelo que a utilização do GPL poderá inclusivamente aumentar a durabilidade de alguns componentes. Em determinados automóveis, é no entanto necessário juntar um aditivo à mistura.

3. Consumos disparam – Parcialmente FALSO
O aumento exponencial dos consumos, após a mudança para GPL, é um mito. De fato, um carro a GPL gasta mais, mas não muito mais. Mas também é preciso ter em conta que o custo deste combustível é muito mais baixo e acaba por compensar.

4. GPL retira a potência – VERDADEIRO
Em tempos, quando a eficiência dos motores era menor e os sistemas GPL ainda não estava plenamente desenvolvidos, havia de facto uma perda de rendimento dos motores. Hoje em dia, com a gestão eletrónica dos motores essas perdas são marginais e raramente detetáveis pelo utilizador. Mas essa perda de potência existe.

Sobre o autor deste texto

Guilherme Ferreira da Costa é estudante de Mestrado no Instituto Superior de Gestão e editor do site Razão Automóvel. Também colabora mensalmente com a revista Mais Superior, dando-te dicas práticas sobre como seres um condutor mais feliz… E poupado.

[Foto: Phillie Casablanca @ Flickr]

Partilhar

1 COMENTÁRIO

  1. Gastando metade anda-se o mesmo e não dobro. Se andasse o dobro com metade do dinheiro o Gpl daria uma poupança de quatro vezes.

Comente este artigo

Please enter your comment!
Please enter your name here

*