Pessoas, ide todas ver Pessoa

0
681

Jornalista boémio que tinha por hábito sentar-se à mesas dos cafés lisboetas A Brasileira e Martinho da Arcada? Visionário autor da “Mensagem”? Maçónico com o hobby do ocultismo? Poeta esquizofrénico que desabafava as mágoas das personalidades múltiplas sob a forma de hetrónimos? Para ver e sentir Fernando Pessoa, o homem que não cabia em si mesmo, tens até ao dia 29 de abril patente a exposição “Fernando Pessoa, Plural como o Universo”, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

Pela boca de Alberto Caeiro, disse um dia Pessoa que “Se depois de eu morrer, quiserem escrever a minha biografia, / Não há nada mais simples./ Tem só duas datas – a da minha nascença e a da minha morte./ Entre uma e outra todos os dias são meus.” Já sob a assinatura de Bernado Soares, a certeza foi bem mais sentimental, ao afirmar que “a minha pátria é a língua portuguesa”, mesmo sendo exímio escritor e tradutor em mais dois idiomas, o francês e o inglês.

Para conhecer um pouco mais deste misterioso homem que considerava todas as cartas de amor ridículas, nada melhor do que aproveitar os últimos meses desta exposição dedicada a Fernando Pessoa ortónimo e aos seus heterónimos, de forma a mostrar a multiplicidade da obra do poeta, conduzindo o visitante numa viagem sensorial pelo seu universo, para que leia, veja, sinta e ouça a materialidade das suas palavras. Patente no edifício sede da Fundação Calouste Gulbenkian, esta exposição reúne poemas, textos, documentos, fotografias e pintura, onde se incluem raridades como a primeira edição do livro “Mensagem”, com uma dedicatória escrita pelo poeta.

“Fernando Pessoa, Plural como o Universo” é uma colaboração entre a Fundação Roberto Marinho e o Museu da Língua Portuguesa de São Paulo (Brasil), com o apoio da Fundação Gulbenkian.

Ricardo Reis ainda vive?
Sabias que dos três heterónimos mais conhecidos de Fernando Pessoa (Álvaro de Campos, Alberto Caeiro e Ricardo Reis) só Ricardo Reis não possui data de falecimento? Por essa razão, José Saramago, Prémio Nobel da Literatura de 1998, escreveu o livro “O ano da morte de Ricardo Reis”.

Mais informações:
Fernando Pessoa

Plural como o Universo
Fundação Calouste Gulbenkian
Avenida de Berna, 45A
1067-001 Lisboa
Telefone: 217823000
E-mail: info@gulbenkian.pt
Data: De 10 de fevereiro até 29 de abril
Encerra na segunda-feira e no Domingo de Páscoa
Horário: 10h -18h
Preço de entrada: 4 euros

Fernando Pessoa na escadaria do Hall dos Congressos
Não percas esta 4ª Sessão, subordinada ao tema “Pessoa “em pessoa”: família, relações amorosas, sexualidade, morte. Ironia, desespero. A experiência de “Orpheu” – amizades e cumplicidades”, que decorre no domingo, dia 22 de abril, entre as 14:30h e as18h. O evento conta com a presença do Professor Gonçalo M. Tavares, do Encenador Marco Martins, do Ator Vítor Roriz e do Designer de Som PZ Pimenta.

[Fotos: Márcia Lessa, Fundação Calouste Gulbenkian]

Partilhar

Comente este artigo

Please enter your comment!
Please enter your name here

*