Discussão sobre a mulher e o feminismo na sétima arte ibérica

0
18
Discussão sobre a mulher e o feminismo na sétima arte ibérica

Organizado pelo projeto de investigação O Cinema e o Mundo: Estudos sobre Espaço e Cinema, da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (FLUL), o Simpósio Internacional Mulheres no Cinema Ibérico leva à capital de Portugal a discussão sobre a mulher e o feminismo na sétima arte ibérica.

Dias 11 e 12 de setembro, a FLUL vai receber este Simpósio, que pretende dar aos participantes perspetivas novas sobre a representação do “feminino” no cinema de Espanha e Portugal, com especial destaque para o final dos anos 90 e inícios dos anos 2000.

O Museu Calouste Gulbenkian vai receber, dia 11, a Mesa Redonda Woman in Portuguese Cinema, das 18h30 às 20h30. Nesta discussão de entrada livre, vão participar Cíntia Gil, diretora do Festival de Cinema Internacional Doclisboa, Susana de Sousa Dias, realizadora internecionalmente galardoada, Joana Ferreira, diretora executiva e produtora na C.R.I.M., Rita Benis, guionista galardoada e candidata a doutoramento na FLUL e também Cristina Matos Silva, representante da Lisbon Film Commission. A jornalista Ana de Sousa Dias vai estar responsável pela moderação da conversa.

Para além disto, há um enfoque especial em duas palestras, ambas com convidadas de honra.
Dia 11 de setembro, dá-se a primeira palestra, com Hilary Owen, da Universidade de Oxford e Manchester, no Reino Unido. Esta investigadora vai apresentar, a partir das 14h30, a sua visão no que diz respeito a três realizadoras portuguesas que criaram, no final dos anos 90 e inícios de 2000 obras que transparecem como eram vistas as mulheres naquela época, tendo como ponto de partida e de chegada a discriminalização do aborto em 2007. A palestra chama-se Monstros, Mutantes e Maternidade: As Políticas dos Pós-Humano no Cinema de Teresa Villaverde, Solveig Nordlun e Raquel Freire.

A segunda palestra principal acontece no segundo dia do Simpósio, a partir das 11h30 da manhã. O foco centra-se no país vizinho e na contribuição das mulheres para o cinema mudo espanhol. Begoña Soto Vásquez, da Universidade Rey Juan Carlos, em Madrid, apresenta a palestra Superar o pioneirismo. Alguns possíveis dados e relatos sobre a contribuição das mulheres para o cinema mudo espanhol.

Para além destes momentos de maior destaque, o Simpósio conta com uma panóplia de palestras e discussões que, baseando-se nesta temática, exploram a fundo características importantes na história (quase) esquecida das mulheres no cinema. Podes consultar a programação completa aqui.

[Fonte: Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa]
[Foto: Pixabay]

Partilhar

Comente este artigo

Please enter your comment!
Please enter your name here

*