“Estou a viver um sonho”

0
580

Com dois prémios MTV Best Portuguese Act e um Globo de Ouro na bagagem ninguém diria que, há bem pouco tempo, ela não levava isto da música muito a sério.

Aos 25 anos, Aurea deixou o estatuto de jovem promessa e é já considerada uma das melhores vozes que temos por cá (ou não tivesse ela feito um dueto, ainda que digital, com o Elvis). Alentejana com passagem pelo Algarve, é ao Blues e ao Soul que vai buscar a inspiração para o que canta. E foi exatamente embalados pelas suas “Soul Notes” (o novo CD) que puxámos conversa com ela.

Lançaste o teu primeiro CD e os olhos viraram-se para ti, depois vieram os prémios, a dupla platina, o destaque no estrangeiro e agora o novo CD… Às vezes não achas que aconteceu tudo muito depressa?

Ainda me lembro da primeira vez que ouvi o “Okay Alright” na televisão, em minha casa, no Algarve, e, realmente, o tempo voou. Já se passaram seis aninhos, sensivelmente, e entretanto já tanta coisa se passou. Às vezes acontece tudo tão depressa que nós nem conseguimos bem saborear os detalhes. É incrível pensar que já passou tanto tempo desde a primeira vez que fui ao estúdio…

E cantar não era a tua primeira opção de vida… Era um sonho que escondias?

Talvez! Sinceramente nunca pensei que me fosse possível seguir a música como profissão, então nunca sequer considerei essa hipótese. Agora sim, sinto que estou a viver um sonho (que começou quando me perguntaram: “Queres gravar um disco?”), o sonho de fazer aquilo que amo, o que é um grande privilégio… Sou muito grata!

Mas a música esteve sempre presente na tua vida…

Sim, cresci a respirar música por toda a parte. Ouviam-se muitos discos em casa, o meu pai e o meu irmão tocavam guitarra, a minha mãe cantava, faziam-se serões maravilhosos no Algarve e no Alentejo entre a família e amigos. Guardo-os com muito carinho e lembro-me muitas vezes desses tempos.

És já considerada uma das melhores novas vozes nacionais. Ficas sem fala quando dizem isto a teu respeito?

Completamente! Só consigo agradecer o facto do público e das pessoas que estão à minha volta me apoiarem incondicionalmente desde o primeiro momento.

És diferente em tudo, na atitude e até na forma como te apresentas. Tens noção que marcaste a diferença?

Marquei a diferença? Não sei. Sei que tento sempre fazer o meu trabalho o melhor que consigo e ser fiel a mim mesma e àqueles que são importantes na minha vida, fazendo tudo por tudo para não os dececionar.

Falemos do álbum… “Soul Notes” traz o som que te carateriza e que mais?

Este disco fala muito mais sobre mim do que o primeiro, as letras foram escritas a partir de assuntos muito pessoais e isso veio de uma necessidade de partilha e de me dar a conhecer um bocadinho mais ao público.

E como tem sido a reação do público a este teu novo trabalho?

As pessoas continuam a ser incansáveis comigo, a dar-me muito apoio, muito carinho, e é extremamente recompensador ouvi-las já a cantar as letras das novas músicas e perceber que se continuam a identificar, de alguma forma, com este novo trabalho. Isso não tem preço!

AUREA

 

“Soul Notes”
“Scratch my back” foi o aperitivo para o novo álbum. Depois de meio mundo lhe querer coçar as costas, ela mandou cá para fora “Nothing Left to Say”, que não fez menos sucesso. E este parece mesmo ser o destino do segundo trabalho discográfico da cantora.

 

 

[Fotos: Cedidas pela entrevistada]

Partilhar

Comente este artigo

Please enter your comment!
Please enter your name here

*