Uma febre viral

0
687

Não é uma febre propriamente dita mas é como se fosse. Estão na moda, quase todos os dias inundam a internet e redes sociais como o Facebook e o Twitter fizeram deles verdadeiros fenómenos.

Os vídeos virais circulam pela net a uma velocidade só permitida por estas novas plataformas de comunicação, que perpassam transversalmente o quotidiano de qualquer um de nós. Parece que “Nothing is more powerfull than a video whose time has come” (Nada é mais poderoso do que um vídeo que chega no momento certo), como diz o YouTube e, se calhar, a frase ‘roubada’ ao escritor Victor Hugo, até faz sentido.

R.I.P. “Gangnam Style”

O ano passado, fomos contaminados com esta febre que, já existindo, tornou-se ainda mais infeciosa. E este ano parece que não vamos ter melhoras! ‘Fails’ daqueles que não lembram a ninguém, uma infinidade de animais a dançar e até cães a falar (imaginem só!)…

Mas se estiveste atento, não só de entretenimento ‘ligeiro’ se fez 2012 (em termos virais). O documentário Kony foi, também ele, um sucesso na rede. A história do menino-soldado do Uganda foi partilhada nas redes sociais e foi tão viral quanto sensibilizadora. O vídeo da Invisible Children parou meio mundo e pô-lo a pensar. Agora, o fenómeno é de outro género e já todos reconhecem o nome “Harlem Shake”. Este é um daqueles vírus epidémicos que se espalha a bom ritmo (porque ritmo é coisa que não lhe falta) por onde quer que nos movimentemos na internet.

O clip viral, lançado no início de fevereiro, põe um homem de capacete enfiado na cabeça a dançar no meio do quarto, enquanto os que o acompanham, aparentemente desinteressados, não entram na ‘dança’. Segundos depois, a frase “and do the harlem shake” muda o ritmo, há um corte no vídeo e, de repente, todos dançam de forma descontrolada.

São 32 segundos de pura loucura, ao som deste single do dj norte-americano Baauer, que renderam, em poucos dias, mais de 11 milhões de visualizações no YouTube. Agora já ultrapassou os 100 e, à velocidade que estes fenómenos se propagam, quando a revista sair, o “Harlem Shake” já chegou a mais uns quantos… Milhões.

Não tardaram as paródias de todo o género ao vídeo. Da série “Simpsons”, ao exército norueguês, passando por coreografias de ‘skydivers’ nos céus, a algumas em que os protagonistas são de quatro patas. Em Portugal, da Universidade do Algarve (UALG) ao Centro Comunitário de Gafanha do Carmo, em Aveiro, prova-se que “Harlem Shake” é um fenómeno para todas as idades.

Não é por acaso que chamam a este novo fenómeno o “Gangnam Style de 2013”. O hit do sul coreano PSY, com um ritmo contagiante, uma dança bizarra e uma letra desconexa, foi o fenómeno viral do ano passado. E se uns sabem a música toda, outros resumem-se ao “Uop, uop, uop, uop uop”.

Multiplicaram-se, no YouTube, versões do hit e Portugal, claro, não se fez rogado. Viste, com toda a certeza, o viral “Fumeiro Style”, um vídeo promocial à Feira do Fumeiro de Montalegre ao melhor estilo e aposto que te fartaste de rir com a sátira política e social, da autoria de Pedro Fernandes, o apresentador do talk show da RTP “5 Para a Meia Noite”, “Gamar com Style”. Foi ele também viral tomando proporções na web pouco vistas por cá. Um simples clique no botão “partilhar”, às vezes, inocente, não adivinha as proporções que um vídeo destes pode tomar. É que quando cola, cola mesmo!

Os 5 mais virais de 2012

Gangnam Style
Ritmo contagiante, coreografia bizarra e letra desconexa, este sucesso made in Coreia do Sul pôs meio mundo (ou mais do que isso) a cantar o “Hey, sexy lady!”.

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=CH1XGdu-hzQ]

Uma guitarra a dividir por cinco
Diz o ditado que “Quem tem unhas sabe tocar guitarra” e deve ser por isso que os Walk of The Earth foram um sucesso. Unhas a multiplicar por cinco numa só guitarra num cover original de “Somebody That I Use to Know” de Gotye.

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=d9NF2edxy-M]

Kony 2012
Quando o vídeo viral caiu na web, o mundo parou para ver a história do menino-soldado do Uganda. O relato denunciador somou milhões de visualizações e a ‘tag’ #kony foi a mais usada no Twitter.

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=Y4MnpzG5Sqc]

O “Call me maybe” das estrelas
A estrelas americanas Justin Bieber, Selena Gomez, Ashley Tisdale e Carlos Peña juntaram-se para se divertir e, num vídeo caseiro super divertido, dão-nos a sua versão de “Call me maybe” de Carly Rae Jepsen.

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=pZTkrP6RawQ]

Battle rap Obama vs Romney
Uma sátira às presidenciais americanas na qual os rivais se enfrentam numa ‘battle’ rap. Se ainda não viste nenhum vídeo do canal Epic Rap Battle of History (ERB), tens que ver!

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=dX_1B0w7Hzc]

Ainda te lembras do Hélio?

Já lá vai um tempo mas ele continua a ser um sucesso. “Sai da frente Guedes!” é uma frase que já não ‘assiste’ ninguém e tornou Hélio Imaginário num fenómeno da web à escala portuguesa. Um rapaz castiço, um skate e pouca ‘queda’ para a coisa. Mais um daqueles ‘fails’ típicos que garantem gargalhadas. Com quase um milhão de visualizações na semana em que foi descarregado no YouTube, Hélio e o seu ‘viral’ foram notícia e a sensação de uma campanha publicitária para uma conhecida marca líder no mercado da TV por cabo.

[Foto: youtube.com]

Partilhar

Comente este artigo

Please enter your comment!
Please enter your name here

*