Não é um milagre… Mas vai ajudar-te!

0
718

Ainda não terminaste o curso e já andas à procura do primeiro emprego? Estás desempregado? Tens um trabalho fixo, mas anseias mudar de carreira? O trabalho existe e há empresas a contratar, garante em entrevista Ricardo Peixe, autor do livro “Emprego Bom e Já! – Guia prático”.

Fica aqui um cheirinho sobre como conquistar essas vagas… Para melhores resultados, terás de ler o livro completo!

– Porquê o título do livro. É fã do Boss AC?

Gosto muito do Boss AC… Acho-o um fantástico músico e dono de uma personalidade fantástica. O livro pretende captar a atenção dos jovens e mostrar que, mesmo neste mercado competitivo, é possível ter um emprego que entusiasme e apaixone quem o encontra.

– Lê-se no resumo do seu livro que, afinal, ainda há empregos e empresas a recrutar. Onde estão escondidas, então, essas vagas?

🙂 Não estão propriamente escondidas. 😉 É certo que existem menos empresas a contratar, certo é também que o candidato não precisa de 1 milhão de empregos, precisa só de um para ele próprio. Neste livro é possível aprender como encarar o mercado, como contactar e como distinguir-se dos outros candidatos, assim como impressionar numa entrevista e conseguir a vaga.

– O que é que pretende mudar no panorama atual com o seu livro (ou no panorama de quem o ler)?

Pretendo mudar, principalmente, o panorama de quem o lê. Este livro não é a solução para o país, é uma solução para ti que queres um emprego e, às vezes, nem sabes o que gostavas de fazer! A busca de trabalho é alavancada por uma atitude forte e vencedora. Quem a tiver está mais próximo de conseguir mostrar ao empregador porque o deve escolher a ele. Vai ser necessário também manter esta atitude, pois o livro não é uma fórmula mágica que resulta imediatamente, é sim um caminho que nos permite (com persistência) chegar ao nosso destino.

– Quais são as piores coisas que pode um candidato a um emprego fazer?

Quando fiz esta pergunta aos recrutadores eles foram quase unânimes na resposta: 1. Mentir ou enganar no CV ou entrevista (colocar formações ou experiências laborais inventadas, por exemplo); 2. Não se prepararem e não conhecerem a empresa quando enviam a candidatura e vão à entrevista.

– E aquelas que deixam qualquer empregador com interesse em conhecer essa pessoa, nem que seja para uma entrevista ou, depois, disso para ficar com ela a trabalhar?

Aquilo que mais impressiona um recrutador é ver um candidato a mostrar as competências que diz ter e que a empresa valoriza. As empresas querem ver a criatividade, a responsabilidade, o dinamismo, a boa disposição, a inovação logo desde o primeiro momento.
Claro que em algumas funções, o passado académico é importante, mas mesmo nesses empregos, entre dois candidatos curricularmente semelhantes, qual é que vocês escolheriam para trabalhar lá? O que demonstra o que é ou o que fala muito sobre o que vai ser?

O truque não é ‘work harder’, é ‘work smarter’
Ricardo Peixe não tem dúvidas: “enviar centenas de currículos iguais todas as semanas para os endereços gerais que aparecem nos sites das empresas vai acabar por cansar-nos, desgastar-nos, deixar-nos em baixo e, provavelmente, não trazer resultados. Haverá quem consiga um emprego desta forma – não vou dizer que não… Mas a experiência será semelhante a eu estar com uma espingarda a dar tiros para o ar, à espera que apareça um pato… Que pode aparecer, ou não”. É por isso que o autor de “Emprego Bom e Já! – Guia Prático” explica que o segredo não é ‘work harder’, é antes ‘work smarter’. “É, por exemplo, eu ir saber que é a pessoa que está a fazer as entrevistas para uma determinada vaga, saber quais as rotinas diárias dela, e chegar ao restaurante onde ela costuma ir almoçar e falar com ela sobre a minha vontade de trabalhar. Isso sim marca a diferença”.

 

emprego-bom-e-ja-guia-pratico

“Emprego Bom e Já! – Guia prático”
Ricardo Peixe
Edição: 2013
Páginas: 240
Editor: Vida Económica
PVP: 9,99 euros

Ricardo Peixe. Quem é ele?
No seu site oficial pode ler-se que é “Coach de Alta Performance e Trainer na Life Training, Practitioner em PNL, Palestrante Universitário e Empresarial, Autor, Bloguista, Empreendedor, Apaixonado por Comportamento Humano”. Mas isto trocado por miúdos, e rebuscando no tempo, é o resultado dum rapaz chamado Ricardo Peixe que nasceu no Porto, numa família humilde, a 24 de agosto de 1980. Aluno acima da média, 18 anos depois, ingressou no curso de Gestão da Faculdade de Economia do Porto (FEP) – mas já trabalhava desde os 15, nos chamados empregos ‘de verão’, hábito que manteve quase todos os verões enquanto continuava os estudos. Na maioria das empresas por onde passou desempenhou funções comerciais e/ou atendimento ao público, sendo que a partir do momento em que saiu da FEP, começou lentamente a chegar a mais funções na área da gestão, liderança, estratégia e planeamento.
Neste momento exerce a maioria da sua atividade através da LIFE Training e anseia ainda algo só digno dos mais sonhadores: “a minha MISSÃO inspirar pessoas a ser mais FELIZES! Por isso trabalho com a LIFE Training onde estamos a (trans)formar Portugal!”.
Para que possas hoje mesmo começar a viver mais a vida que desejas, Ricardo Peixe aconselha que visites o site conseguiremprego.pt, onde irás encontrar as informações e ferramentas de que precisas.

[Foto: Vida Económica e facebook.com/RPeixeCoach]

Partilhar

Comente este artigo

Please enter your comment!
Please enter your name here

*