Armários, vem aí a primavera!

0
523
Armário

Já reparaste que os dias têm agora luz até mais tarde e que o chilrear dos pássaros anuncia temperaturas amenas dentro em breve? 

Se a vontade de voltar a usar aqueles tecidos leves e coloridos que anunciam a metros de distância que adoras a primavera há muito que chama dentro de ti, arregaça as mangas e prepara-te para virares o teu armário de pernas para o ar – o que inclui fazer com que os cobertores e os lençóis de flanela deixem de ser o primeiro que vês quando vais buscar umas calças de ganga!

O teu armário não é um shopping…
Liberta o espaço da roupa que não usas
Sabemos que são os saldos, as prendas de aniversário, os trapinhos herdados da mãe, a roupa emprestada pela irmã… Enfim, uma série de peças que se vai acumulando no teu quarto e que faz com que a tua coleção de vestimentas se aproxime em quantidade à das grandes superfícies comerciais, impedindo que vejas com claridade a roupa que afinal tens. Portanto, primeiro que tudo, aconselhamos-te a veres que tipo de roupa (gasta, que já não serve, rota, emprestada, à espera de arranjos de costura, que se estragou na máquina de lavar, etc.) é que não faz parte do grupo de peças que usas diariamente. Uma vez retirada essa roupa toda, as restantes peças poderão finalmente respirar ar fresco dentro do teu armário!
Se quiseres ser solidária e tiveres roupa que nem sequer chegaste a estrear, mas que por algum motivo não usas – podes doar tudo a instituições de caridade ou a associações como a Humana, que através da revenda de roupa em segunda mão ajudam que mais precisa.

As estações é que mandam!
Lãs para baixo e algodões para cima
Pensa assim: se o teu corpo te pede tecidos mais frescos, leves e airosos com a chegada da primavera, por que é que não vamos facilitar esse processo e arrumar o armário dessa forma? Esvazia por completo o teu guarda-roupa (atira tudo para cima da cama, põe bem alto aquele CD que adoras e passa um serão animado em frente ao espelho) e dispõe tudo novamente, de forma a que casacos de inverno mais grossos, cobertores, lençóis de flanela, cachecóis de lã, gorros felpudos e afins fiquem no fundo, mais escondidos (em baús, malas de viagem que não usas ou naquelas divisões plastificadas que se colocam camuflados até por baixo da cama) e coloca à mão de semear – neste caso à mão de tirar logo de manhã cedo – toda a roupa mais fresquinha, como sendo vestidos, calções, blusas, tops, bermudas, calças de ganga…

Cada peça tem a sua mania…
E os cabides nunca são de mais
Pendura os tecidos finos e sedosos em cabides individuais para evitar que fiquem enrugados e com aspeto desmazelado (até para evitar o ferro de engomar novamente). Já os cabides de mola são ideais para prender saias, minissaias e vestidos curtos cai-cai, pois ficam visíveis e bem seguros – não correndo o riso de deslizarem do cabide e ficarem amarrotados no fundo do armário. Se o teu guarda roupa não tiver altura suficiente para vestidos compridos ou calças de vinca mais formais, experimenta dobrar tais peças e pendurá-las igualmente em cabides de mola, mas dobrados ao meio. Tudo o que for calças e calções de ganga pode ficar dobrado por cores ou tamanhos – este procedimento poupa cabides e podes aproveitar espaço em altura do teu armário.
Ah! E para os lenços, podes sempre fazer uso do velho truque do cabide: dá um nó numa das pontas e dispõe várias peças no mesmo cabide. É prático e fica bonito.

Todos os centímetros contam!
Aproveita ao máximo as divisões
Roupa, sapatos, acessórios, fatos de banhos, meias, cuecas, luvas, leggins…. Se tiveres a sorte de ter um armário com divisões próprias onda possas catalogar os diferentes tipos e ocasiões de roupa e demais adereços e acessórios, ótimo. Em caso contrário, podes usar ou até reutilizar caixas de sapatos e caixotes de papelão diversos que tenhas lá por casa – escreve é sempre por fora o seu conteúdo para evitar que ataques de pressa deitem toda a tua arrumação a perder um dia destes.
Antes de guardares a roupa em caixas, verifica sempre se está tudo limpo e sem manchas ou bolor – lembra-te que quanto mais tempo a mancha permanecer no tecido, mais difícil será fazê-la desaparecer… E ninguém gosta de surpresas desagradáveis na hora de vestir uma peça de roupa, acredita.

[Foto: Rubbermaid Products @ flikr]

Partilhar

Comente este artigo

Please enter your comment!
Please enter your name here

*