Com a arte no corpo

0
769

Emma Hack, uma artista australiana, decidiu dar uma nova vida à Pop Art, famoso movimento artístico nascido na década de 50. Emma juntou pintura e fotografia para fazer um extraordinário trabalho, onde várias mulheres têm a Pop Art estampada no corpo.

O trabalho é de um enorme realismo e beleza visual e nasceu da paixão da artista pelo movimento imortalizado por Andy Warhol. Roy Lichtenstein foi outra figura marcante da Pop Art e fonte de inspiração para esta australiana, que desafiou várias mulheres a, literalmente, dar o corpo ao manifesto.

Emma Hack é uma especialista do body painting e, juntando esse talento ao da fotografia, partiu para esta proposta, que está em exposição na Austrália, no Adelaide Convention Centre. “POP!”, o nome do projeto, mostra-nos uma abordagem moderna e divertida a este movimento que, recorde-se, foi batizado por Richard Hamilton, falecido em 2011.

A Pop Art surgiu num período de rápido crescimento económico em países como os EUA (de reconstrução no caso dos mais afetados pela 2ª Guerra Mundial) e foi a forma encontrada por alguns artistas de retratar as sociedades industriais e a massificação da cultura, onde as celebridades são construídas de forma quase instantânea – as representações de Marilyn Monroe por Warhol são um dos maiores símbolos da Pop Art – e onde o consumo desenfreado, desde os automóveis aos enlatados, é regra vigente.

Emma desenhou-a nos corpos destas mulheres, com resultados à vista.

Entre outros trabalhos, a australiana é autora do famoso vídeo da música “Somebody That I Used To Know”, de Gotye.

[Fotos: Emma Hack]

Partilhar

Comente este artigo

Please enter your comment!
Please enter your name here

*