Exames com o passo acertado

0
717

Já sabemos que janeiro é mês de estudo e que carregar livros e apontamentos em dias de alerta amarelo é exercício suficiente para andares com a respiração aos solavancos. No entanto, ser ratinho de biblioteca de manhã à noite pode não ser a melhor solução para o teu estudo. Nestes exames, dá uma oportunidade também ao físico e percebe como ele se pode tornar na tua melhor ‘cábula’.

Aguentar muitas horas seguidas a estudar, com pouco descanso e horas de sono, pode parecer-te heroico e responsável, mas nem sempre será o mais vantajoso. A concentração no estudo é muitas vezes o reflexo do teu estado físico e mental e quanto maior o cansaço, menor a produtividade.

Com isto em mente, damos-te algumas sugestões de libertação da ‘ditadura’ dos exames:

Alongar

Alongar o corpo traz duas enormes vantagens ao cérebro: estimula-o e relaxa-o. Com os alongamentos, o corpo tende a diminuir a rigidez, o que faz com que o teu cérebro envie sinais para que as células se renovem. É particularmente eficaz o exercício que te põe de braços no ar, bem esticados, que depois vais balançando de um lado para o outro. Podes repetir o número com os braços entrelaçados atrás das costas.

É possível que depois disto te sintas mais jovem e vigoroso, pronto para atacar o que resta do estudo.

Relaxar

Essencial para manter a lucidez. Podes relaxar braços, pernas, pés, mãos e dedos. Para os primeiros, levanta-os em forma de cruz e cerra os punhos com força. Deixa-os cair e relaxa até que voltem ao normal.
Quanto aos membros inferiores, faz um exercício semelhante, mas sentado numa cadeira, levantando e deixando cair as pernas.

Para os pés, deixa que o corpo faça peso sobre um deles, enquanto o outro se levanta e dá suaves pontapés na atmosfera. Repete o exercício, trocando a posição dos pés.

Abre as mãos e estica bem os dedos, dando leves sacudidelas. Rodar a cabeça, deixando-a solta sobre os ombros, e de olhos fechados, é também um excelente exercício de relaxamento.

Relaxar Exames
Manter o corpo relaxado pode ser essencial para um bom período de exames.

Respirar

Para uma boa respiração, deves usar o abdominal. Exercita a inspiração e a expiração sem movimentar a zona dos pulmões. Quando inspiras (fá-lo durante 4 segundos) aumenta o volume do ventre, quando expiras (4 segundos também) ele diminui. Deves reter o ar durante 2 segundos.

Dormir

Convém não abusar, aqui a ideia é dar rentabilidade ao estudo. No entanto, para o cúmulo do relaxamento, tens a opção de dormir. Já muito foi dito sobre a siesta do outro lado da fronteira, mas nós reforçamos que dormir ajuda a promover sensações de prazer e bem-estar no organismo.

Mesmo que não entres no mais profundo dos sonos, estar entre 30 minutos a uma hora a ‘dormitar’ pode dar-te a energia que faltava.

Levanta-te e corre!

Sabes quando o simples facto de olhar para os livros te arranca um bocejo? Aquela moleza de início de tarde, depois de uma manhã produtiva, que não te deixa arrancar? Não insistas.

A solução pode ser uma corrida (quem sabe depois da sesta, para não provocares uma má digestão pós-almoço). A corrida, para além de te ‘despertar’, aumenta o fluxo de sangue ao longo do corpo e estimula o cérebro, permitindo uma melhoria significativa tanto ao nível da memória, como de outras funções cognitivas, como a perceção ou a atenção. Um bom duche para fechar o capítulo e voltar ao trabalho deve ser suficiente para as pôr a carburar.

Para quem leva estas vantagens demasiado à letra, fica o alerta: correr muito tempo ou forçar demasiado vai obrigar a uma pausa maior, já que não terás nada a ganhar em mergulhar a cabeça nos livros logo após uma prova de resistência.

Cansaço exames
Há um ponto que separa o exercício saudável do demasiado exigente e pouco benéfico para o estudo.

Passear o cão

Para esta opção, é preciso primeiro que o tenhas. A não ser que o peças emprestado a um vizinho. De qualquer maneira, levar o cão à rua é uma pausa com resultados garantidos. Os espaços verdes permitem-te respirar ar puro e fazer uns sprints para acompanhar o ritmo canino.

Fazer a lide doméstica

Junta-se o melhor de dois mundos: não só fazes a necessária pausa no estudo, como ainda ajudas alguém ou a ti próprio. No caso de viveres em casa dos pais, provavelmente vais deixá-los de boca aberta quando virem que aspiraste a casa de uma ponta a outra, com direito a roupa engomada, vidros limpos e loiça num brinco.

Se vives sozinho ou com amigos, é provável que a casa já estivesse a precisar de uma mãozinha cheia de vontade de ajudar. E ser fada do lar tem um poder relaxante impossível de resistir.

Exames
Arrumar a casa pode ser mais relaxante do que à partida parece.

A Evitar

Facebook

A Internet é um mundo, portanto distrações não faltam. Mas as redes sociais, e em particular o Facebook, já devem ter sido culpadas de muitos e bons chumbos. Desligar a janela do Facebook e não pensar em atualizar o estado a cada 15 minutos é o melhor a fazer.

Procrastinar

Não deixes para mais logo o que podes fazer agora. Inventar pretextos para estar ocupado (e, por vezes, até olhar para uma mosca ou contar picos da parede parece mais aliciante que estudar) é o primeiro passo para as coisas correrem mal.

Decibéis elevados

A música é a questão mais ambígua: é bom tê-la por perto, seja em que altura for. O estudo não é exceção. O problema é o que fazer quanto à escolha musical. Muitas guitarras, com direito a riffs arrojados, ou batidas demasiado dançáveis podem fazer o teu cérebro dispersar. As músicas mais melódicas têm muitas vezes o condão de te fazer soltar o artista escondido que há em ti.

E que tal andar entre o jazz e a música clássica?

Fumar

É sabido que o cigarro é um pretexto frequentemente utilizado para pausas. O problema vem depois. Em novembro último, o jornal i dava conta de um estudo da Kings College de Londres que concluiu que o consumo de tabaco prejudica o cérebro e as funções cognitivas. Para além de tudo o resto, a tua capacidade intelectual passa bem sem ele.

Fumar mata
O cérebro é só uma das partes do corpo afetadas quando fumas.

[Fotos: Elvert BarnesRelaxingMusicIvan MarianelliHelga Weber e DucDigital]

Partilhar

Comente este artigo

Please enter your comment!
Please enter your name here

*