Bola de Ouro vira costas a Ronaldo

0
995

Três candidatos de peso, entre eles um português. Cristiano Ronaldo tentava a Bola de Ouro pela segunda vez, mas a concorrência foi demasiado forte. Messi é um extraterrestre, dizem os especialistas. A FIFA concorda e dá ao pequeno argentino o prémio de melhor jogador do mundo pelo quarto ano consecutivo.

Na Gala da FIFA, que decorreu em Zurique, na Suíça, não esteve presente José Mourinho, técnico do Real Madrid, e também candidato a melhor do ano, na categoria de treinador. Mas esteve outro português, nascido na Madeira.

Cristiano Ronaldo é o símbolo maior do desporto em Portugal e, não fosse ter nascido na mesma altura que Lionel Messi, um argentino de baixo porte mas de enorme talento, e seria já um dos mais premiados futebolistas de sempre.

Na primeira metade de 2012, um estudo conduzido por uma equipa do IPAM – The Marketing School colocava o craque português como o jogador mais valioso do mundo, pelo menos no que ao Marketing diz respeito. O potencial de mercado do português ficou avaliado nos 40 milhões de euros ao ano, mais três milhões que o adversário do Barcelona, numa avaliação que juntou dados como receitas publicitárias, exposição mediática, impacto na web ou palmarés.

O mediatismo de CR7 é inegável, assim como o são as capacidades futebolísticas. A dúvida persiste apenas na questão “quem é o melhor?”. Ronaldo e Messi já transformaram o campeonato espanhol numa espécie de duelo entre dois titãs e parecem querer monopolizar o próprio futebol mundial. 2007 foi o último ano em que a Bola de Ouro não ficou num dos dois jogadores, que ocupam quase automaticamente dois lugares do pódio, todos os anos.

A votação que elegeu Messi como Jogador do Ano pela quarta vez seguida foi feita, como habitualmente, pelos capitães e selecionadores nacionais. Ainda assim, houve 26 jogadores, 24 treinadores e 36 jornalistas a escolher Cristiano Ronaldo como o melhor, o que acabou por lhe garantir o segundo lugar do pódio (outra vez!). Os dois destronaram Iniesta, jogador do Barcelona e da seleção espanhola e terceiro finalista.

Vicente Del Bosque, selecionador espanhol e campeão da Europa, ficou com o prémio a que Mourinho também concorria (Guardiola fechava o trio de candidatos). É o Treinador do Ano 2012.

[Foto: facebook.com/Cristiano]

Partilhar

Comente este artigo

Please enter your comment!
Please enter your name here

*