Consoada com conta, peso e medida

0
636

Natal é tempo de festa, de comida e de bebida… Mas também de prevenção e cautela, a julgar pelo alerta da Sociedade Portuguesa de Nefrologia (SPN), que recorda os excessos  alimentares carateristicos da época natalícia que podem ser também um perigo para os rins.

Sal, açúcar e fritos são algumas das palavras que dão cor e sabor ao Natal. Mas cuidado, porque “a tendência de maior consumo de sal pode afetar a saúde do sistema cardiovascular e, consequentemente, do rim. A escolha da dieta por parte do médico é sempre feita de uma forma individualizada, pois uma boa alimentação é fundamental para reduzir as complicações no doente renal e melhorar a sua qualidade de vida”, refere Fernando Nolasco, presidente da SPN.

A perda da funcionalidade dos rins faz também com que o potássio se acumule no sangue. “Quando os níveis ficam muito altos, o doente tende a sentir debilidade muscular, tremores e fadiga e pode correr risco de vida”, alerta igualmente o nefrologista, ao mesmo tempo que deixa algumas dicas para que a Noite de Consoada não leve ninguém ao hospital:

– Opta pelo bacalhau bastante demolhado (3 dias de preferência), acompanhado por uma salada de alface, couve-flor e cenoura cozida temperados apenas com um fio de azeite.
– Os legumes devem ser cozidos em duas águas e escorridos bastante bem antes de serem servidos.
– Se preferires carne, a melhor opção é o peru sem pele, que pode ser cozido no forno, em azeite, e acompanhada por puré de batata caseiro e tomate cozido.
– Não utilizes sal em nenhum dos temperos e experimenta antes o sabor das ervas como a salsa, o alecrim, os orégãos…
– Não recorras a produtos com designação de “baixo teor de sódio/sal”, pois contêm substitutos à base de sais de potássio (como por exemplo produtos de charcutaria).
– Experimenta sobremesas em forma de fruta (maçã, pera, pêssego, ananás ou framboesas frescas).
– Os alimentos proibidos na mesa da consoada são os frutos secos e oleaginosos e as leguminosas, o queijo salgado e rico em potássio e fósforo; presunto, carnes salgadas e fumadas; conservas ou concentrados de carne e peixe; peixe salgado ou fumado, mariscos e crustáceos; sopas instantâneas, purés instantâneos, pratos comercializados; cacau, chocolate e gelados.
– Também não deves abusar dos chamados açúcares simples como o açúcar, o caramelo, o mel, as compotas; e as gorduras salgadas como a manteiga salgada, a banha e o toucinho.

Para além destas recomendações, é importante comeres lentamente, mastigando bem, e estabeleceres horários regulares para as refeições, comendo todos os dias à mesma hora. Com a simples alteração dos hábitos de vida, é possível minimizar um conjunto de complicações associadas à patologia… Já que em Portugal estima-se que 800 mil pessoas sofram de doença renal crónica. A progressão da doença é muitas vezes silenciosa, o que leva o doente a recorrer ao médico tardiamente, já sem qualquer possibilidade de recuperação.

[Foto: imigracaoportuguesa.blogspot.com]

Partilhar

Comente este artigo

Please enter your comment!
Please enter your name here

*