Se tocarem à campainha… Pode ser a tua marmita!

0
3936

Imagina não teres de passar no supermercado todos os dias. Imagina não teres de cozinhar pela noite dentro. Imagina não teres de acordar mais cedo para preparar a comida para o trabalho. E agora imagina que tudo isto é possível e que, por apenas 3,99 euros, alguém te leva uma saborosa marmita ao escritório na hora de almoço.

Com vários negócios no ramo das entregas ao domicílio, a empresa Rotina Perfeita nasceu há três anos. Depois dos pequenos-almoços, as limpezas e os jantares, os três sócios depressa perceberam que a próxima aposta seria no ramo dos almoços: foi então que nasceu A Marmita. “No final do ano passado, começámos a distribuir jantares ao domicílio. Fizemos uma ementa e estipulámos o preço nos 3,99 euros – um valor que nós achámos apelativo para as pessoas aderirem ao serviço. No entanto, e quando já tínhamos uma média de 50 jantares por dia, começámos a ver que os clientes queriam era marmitas para levarem o almoço para o trabalho. Então pensámos: por que é que não levamos então os almoços às empresas também?”, explica Carlos Caneiras, um dos sócios da Rotina Perfeita.

500 almoços por dia
Com a chegada das primeiras marmitas aos escritórios, a partir de 2 de abril de 2012, Carlos confessa que logo se gerou um boom de novos clientes, perto de 60 por dia, sobretudo pela divulgação que o negócio mereceu aos mais variados meios de comunicação social. Atualmente, são perto de 500 almoços por dia os que A Marmita leva aos locais de trabalho de quem não tem tempo nem para almoçar fora, nem para o trazer de casa. A diferença? Além do preço de 3,99 euros, Carlos Caneiras garante que a chave do sucesso está no requinte: “não queremos mandar só um bife, queremos apresentar um bifezinho com um ovo estrelado, uma salada e umas batatas a acompanhar. Também damos muita importância aos molhos, por exemplo, tendo molhos de pêssego ou de manga que dão um toque especial à comida”.

Além deste cuidado requinte gastronómico – “que não permite postas de bacalhau ou bifes do lombo, por 3,99 euros, mas garante a qualidade e a frescura dos ingredientes” – A Marmita prima, igualmente, pela honestidade para com os seus clientes, que não só se mantém fieis ao serviço, como geram novos apreciadores do mesmo. “Nós até podíamos ter comida a 3 euros ou a 2 euros… Mas se não prestasse para nada, as pessoas não iam voltar a pedir, porque ninguém gosta de pagar, mesmo que barato, por uma coisa que não presta”, sublinha Carlos Caneiras.

Outro apelativo encontrado pelos clientes d’A Marmita é a forma de pagamento, já que ao ser incomportável receber na altura em que se efetua o pedido, os pagamentos são feitos no início do mês seguinte – “até porque há muitas pessoas que não recebem a horas, outras que chegam a dia 15 ou 20 e começam a apertar, porque o dinheiro não estica… E nós optámos por dar este crédito às pessoas”. O método tem funcionado bem, conclui o sócio, se bem que há “alguns casos em que temos que lá ir à empresa mais que uma vez. No entanto, as pessoas no local de trabalho não querem ficar manchadas perante os colegas por não pagarem a comida, pois ficam constrangidas, e acabam por pagar, porque também não estamos a falar de valores exorbitantes”.

Marmitas rumo ao Porto
Como nestes seis meses “já aconteceu um pouco de tudo”, dá conta Carlos, o futuro da marca A Marmita ainda tem muito caminho a percorrer: “já recebemos propostas para nos franchizarmos, já nos quiseram comprar a empresa… Mas nós, para já, queríamos tentar crescer pelos nossos próprios meios. Como não sabemos se isso vai ser possível, o que posso dizer é que a nível de crescimento queremos conseguir distribuir em todos o Distrito de Lisboa. O próximo passo é ir para o Porto, coisa que deverá acontecer até meados do próximo ano”.

Loucos por polvo e pato
Quando perguntámos a Carlos Caneiras qual o prato mais pedido, a resposta não se fez tardar e chegou sob a forma de duas iguarias: Polvo à Lagareiro e Arroz de Pato – “são claramente os dois pratos que se destacam de todas as ementas que temos, originando logo uma discrepância de pedidos”. Mas os deleites culinários que mais agradam aos clientes d’A Marmita passam igualmente pelas surpresas que o serviço oferece, sobretudo em dias festivos. “Agora em novembro tivemos oferta de castanhas, por exemplo. Gostamos de dar um miminho – sempre que podemos, claro – a quem escolhe o nosso serviço”, termina Carlos Caneiras, não revelando a surpresa que está prevista para os almoços da Quadra Natalícia.

Como funciona a Marmita?

1 – Encomenda
Para fazeres a primeira encomenda, preenche o formulário. Nas próximas 24 horas serás contactado para atribuição do Nº de Cliente. A partir desse momento, poderás efetuar a tua encomenda via e-mail ou telefone, até às 21h do dia anterior. Tens até às 10h do próprio dia para cancelar.

2 – Entrega
As entregas são efetuadas entre as 10h e as 13h. O motorista entrega todas as refeições para a empresa na receção. Cada marmita vai identificada com o Nº Cliente.

3 – Pagamento
No último dia útil do mês é enviada a fatura detalhada de todo o consumo. Tens até dia 5 do mês seguinte para fazer o pagamento por transferência bancária ou por TPA (terminal multibanco).

A Marmita
Rua 1º de Maio, Lote 26
Loja cave Esquerda
2680-058 Camarate
Telefone: 211 933 159
Fax: 211 975 310
Telemóvel: 918 398 566
E-mail: encomendas@amarmita.com
Site: www.amarmita.com

[Foto: A Marmita]

Partilhar

Comente este artigo

Please enter your comment!
Please enter your name here

*