Sorri… Mas só estiveres em condições para tal!

0
1357

Tímido, inocente, de fotografia, irónico, descarado, malicioso, desbragado e prestes a abraçar uma gargalhada. O sorriso é aquele pormenor que nos torna seres humanos únicos, afáveis, simpáticos e irresistíveis. Mas nem todos podem gabar-se de poder abrir a boca, deixando os presentes felizes com o gesto. Para que mostrar os dentes seja tão prazenteiro para ti como para os demais, a Mais Superior deixa algumas dicas práticas de higiene oral.

Comer bem, sorrir melhor

Não é à toa que trincar maçãs ou cenouras deixa uma sensação de frescura bocal maravilhosa. O mesmo não podemos dizer no fim de exagerarmos nas batatas fritas de pacote, nos rebuçados, no café, nas gomas, no vinho, nos bolos e nos chocolates – se fores fumador, o drama dos dentes amarelados e do mau hálito ganha toda uma proporção adicional, exigindo cuidados redobrados. Assim, optar por uma alimentação saudável, rica em vegetais, frutos, água, cálcio e minerais, contribui efetivamente para uma dentição saudável.

Dica:
Não estejas sempre a comer! A presença constante de alimentos na boca favorece a acidificação da saliva – os restos alimentares transformam-se em ácidos que podem destruir o esmalte dos dentes;

Planos para hoje? Ir ao dentista!

Não fiques à espera que o primeiro dente cariado não te deixe dormir… Como diz o ditado, “Mais vale prevenir do que remediar”, por isso, visita o teu dentista a cada seis meses para ver se está tudo em ordem dentro da tua boca. Lembra-te que existem recantos e alterações dentro da nossa boca que nos passam, por vezes, despercebidas, tais como a inflamação das gengivas, o aparecimento de cáries em locais mais escondidos e o desgaste do esmalte.

Dica:
Lembra-te que os dentes do siso nem sempre crescem no seu devido lugar e empurram, mesmo antes de furarem a gengiva, a restante arcada dentária, deformando o teu sorriso. Fica atento!

O poder da escova e o super poder do fio dentário

Se as tuas gengivas são mais sensíveis e tendem a sangrar, opta por uma escova média ou mesmo macia, nunca dura. O importante, na hora de escovar, é que não te esqueças dos dentes do fundo (que também existem, embora não apareçam nas fotos), das gengivas e também da língua! Muitas vezes, a halitose está relacionada com as bactérias, os restos de alimento e a saliva que se juntam à superfície da língua. Portanto, limpar a língua vai manter a tua boca mais limpa e melhorar consideravelmente a degustação. Para terminar, usa sempre o fio dentário para eliminar os resíduos entre os dentes que a escova não conseguiu eliminar.

Dica:
Compra um segundo fio dentário para trazeres dentro da mala/mochila, caso não tenhas possibilidade de escovar os dentes ao almoço e para evitares dissabores como espinafres penduradas nos caninos, após algumas refeições.

Como escolher a pasta de dentes?

Todos queremos um sorriso branco, sem tártaros e gengivas inflamadas, como sugerem os anúncios publicitários. Mas segundo os especialistas, o ideal é escolheres uma pomada que contenha flúor e que seja pouco abrasiva (se bem que o bicarbonato de sódio presente nalgumas pastas de dentes serve efetivamente para neutralizar os ácidos da placa bacteriana). Depois, e à vontade do freguês, há toda uma variedade que poderás experimentar de acordo com as tuas necessidades bocais: anti-tártaro, anti-placa bacteriana, branqueadora, para problemas de sensibilidade dentária e herbal, para quem sofre das gengivas, por exemplo.

Dica:
Sabias que os morangos são verdadeiros branqueadores dentários naturais? O segredo está no ácido málico presente no morango e capaz de remover aquela desagradável coloração amarelada à superfície dos dentes.

Contra o mau hálito, bochechar, bochechar!

Para além de eliminar a formação de placa bacteriana e combater as doenças periodontais, o elixir bocal é um excelente aliado contra o mau hálito, devido às suas propriedades antisséticas e ao seu sabor fresco e agradável.
À semelhança do que acontece com as pastas de dentes, poderás escolher o elixir mais indicado, conforme o que queiras combater: placa bacteriana, cáries, gengivite, mau hálito, hálito de fumador, efeito branqueador… Para os mais sensíveis, aconselha-se o uso de elixires apropriados e recomendados pelo médico dentista. Não te esqueças que depois da utilização do elixir bocal (seguindo as indicações da embalagem e o doseador incorporado), deves evitar lavar os dentes ou comer nos 30 minutos seguintes – caso contrário, o elixir perde a eficácia.

Dica:
Coloca o frasco de elixir à mão, junto ao lavatório, se possível, pois se o guardares no armário da casa de banho ou num lugar mais escondido, vais acabar por não o utilizar frequentemente, como deve ser.

[Foto: jestina-george.com]

 

Partilhar

Comente este artigo

Please enter your comment!
Please enter your name here

*