Documentário de regresso a Lisboa

0
660

Arrancou ontem e prolonga-se até ao final do mês mais uma edição do Doclisboa, este ano particularmente ativo política e socialmente. O festival de cinema documental abre uma nova secção, “Cinema de Urgência”, que nos leva por entre os tumultos na Grécia, as ocupações em Nova Iorque, as manifestações em Portugal ou as revoluções da “Primavera Árabe”.

186 documentários para ver em seis espaços da cidade. É essa a proposta a que já nos habituou o Doclisboa, que em 2012 volta a privilegiar o cinema português (68 sessões da programação), não esquecendo temas tão atuais quanto o fecho da RTP2.

A crise serve como pano de fundo, não só no que diz respeito às temáticas abordadas por grande parte dos realizadores, como pela própria organização do festival. Com um orçamento 20 por cento abaixo do habitual – tendo recebido um apoio de 337 mil euros da Câmara Municipal de Lisboa, do Instituto do Cinema e do Audiovisual, do programa europeu Media e da Culturgest -, o Doclisboa reconhece as dificuldades e oferece um desconto no preço dos bilhetes aos desempregados.

Ainda assim, haverá lugar a novidades, com três secções prontas a estrear. Uma delas, “Cinema de Urgência”, percorre o universo das convulsões sociais um pouco por todo o mundo, lançando mais achas para uma fogueira cada vez mais intensa. São, segundo a organização, “filmes que respondem às lacunas do exercício dos media, que existem através de redes sociais e outros meios que tentam abrir brechas no controlo da informação”.

“Verdes Anos” constitui outra surpresa na edição de 2012 do festival, apresentando filmes produzidos por alunos de escolas de cinema e audiovisual: “pretende-se dar a oportunidade aos jovens realizadores ainda em contexto de formação de mostrarem o seu trabalho a um público alargado”.

Por fim, “Passagens” une o documentário à arte contemporânea, ou apresenta essa união. Uma exposição e um colóquio internacional fazem parte do programa para esta secção.

De resto, mantêm-se as competições nacionais, internacionais, as sessões especiais, as homenagens e os workshops. Entre 18 e 28 de outubro, há muito por onde escolher entre a Culturgest, o Cinema Londres, o Cinema São Jorge, a Cinemateca Portuguesa, a Carpe Diem Arte e Pesquisa, a Galeria Palácio Galveias e o LuxFrágil.

[Foto: festmag.com]

Partilhar

Comente este artigo

Please enter your comment!
Please enter your name here

*