Da investigação à mobilidade

0
636

É hoje celebrado o acordo entre o Banco Santander Totta e a Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa (UNL) que vai permitir que a instituição de ensino superior, e toda a comunidade estudantil, receba apoio ao nível dos equipamentos para o seu Polo de Investigação, da internacionalização e da mobilidade dos alunos e ainda do acesso às vantagens do Cartão Universitário Inteligente.

A parceria vem na sequência de outras que o Banco Santander Totta tem vindo a fazer com faculdades da UNL, desde a Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH), passando pelo Instituto Superior de Estatística e Gestão de Informação (ISEGI), até ao Instituto de Higiene e Medicina Tropical (IHMT). A relação com o Ensino Superior é uma das principais apostas do Banco, que tem vindo a estreitar o relacionamento com o mundo universitário.

Desta feita, o acordo vai permitir, para já, a aquisição de materiais e equipamentos para o novo Polo de Investigação da Faculdade de Ciências Médicas da UNL, o que se prevê que venha a ajudar a melhorar também os métodos e a qualidade da investigação científica nesta instituição de renome. Para além disso, será aproveitada a posição privilegiada do Santander Totta, que se encontra integrado numa Divisão Global, para incentivar os jovens alunos à internacionalização e à candidatura a programas de mobilidade. Estas experiências são reconhecidamente enriquecedoras do percurso pessoal e profissional dos alunos, pelo que serão atribuídos prémios e bolsas de mérito aos que se mostrarem mais aptos.

Por fim, a ligação garante a cerca de 2800 pessoas o acesso ao Cartão Universitário Inteligente. Que vantagens?, perguntas tu. As tecnologias inovadoras integradas no cartão permitem: aceder a salas, gabinetes, escritórios ou zonas restritas, como elevadores e parques de estacionamento, usar computadores, requisitar livros em bibliotecas e fazer pagamentos no espaço da universidade. A inovação paypass, aliás, permite, em locais previamente preparados, o pagamento de operações de baixo custo sem necessidade de recorrer ao código pin.

[Foto: unl.pt]

Partilhar

Comente este artigo

Please enter your comment!
Please enter your name here

*