Guimarães com as peças todas

0
373

Guimarães vive mesmo um ano de ouro. Para além de todos os acontecimentos associados ao facto de ser Capital Europeia da Cultura 2012, a cidade berço recebe um Campeonato do Mundo Universitário, com equipas de 18 países. A prova é de Xadrez e, para já, os portugueses contam com uma vitória.

Decorre entre 19 e 25 de agosto, próximo sábado, e reúne um total de 40 rapazes e 22 raparigas em competição. O 12º Campeonato do Mundo Universitário de Xadrez já deu a António Vasques, atleta português, uma vitória (e para já a única da nossa Seleção) frente ao libanês Bassel Charaf. Os outros três portugueses que já participaram não tiveram a mesma sorte: André Vilela, Pedro Rodrigues e Lucas Silva saíram derrotados, respetivamente, dos confrontos com o chinês Xianghzhi Bu, o atual número 1 da competição, com o brasileiro Vinicius Martins e com o mexicano Julián Alarcon.

Tarefa muito difícil vão ter também as raparigas universitárias – olhando para o ranking composto por 22 participantes, apenas uma mexicana se encontra atrás das atletas nacionais, no fim da lista.

Na competição por equipas, estarão em prova sete países. As favoritas ao pódio China, Rússia e Polónia, seguidas de Brasil, Mongólia, Portugal e Equador.

Honra à cidade

A cerimónia de abertura ficou marcada pelo Desfile das Delegações, na cidade de Guimarães, que juntou atletas e oficiais de 18 países. Nos discursos ficou claro o elogio à cidade.

Luís Rodrigues, presidente da comissão organizadora, falou do papel da Universidade do Minho (UM) e da Associação Académica da Universidade do Minho (AAUM) neste tipo de eventos com notoriedade internacional, enquanto o vice-presidente da Federação Internacional de Desporto Universitário (FISU), Luciano Cabral, de origem brasileira, realçou a admiração pela “cidade berço de Portugal e, consequentemente, do Brasil também”. Luciano Cabral espera uma competição tão bonita quanto é Guimarães.

A competição foi oficialmente aberta pelo reitor da UM, António Cunha, que expressou a sua satisfação pela entrega da prova a “uma cidade envolta em história e cultura portuguesa”.

No final da festa, foi dado lugar à música, com as atuações do Grupo de Percussão Bomboémia e da Gatuna, Tuna Feminina da UM.

[Foto: FADU]

Partilhar

Comente este artigo

Please enter your comment!
Please enter your name here

*