Adeus a José Hermano Saraiva

0
837

Há muitas maneiras de contar a parte da História de Portugal que fala dos Duques de Brangança, mas poucas se assemelham à de José Hermano Saraiva, o homem que iniciou o relato a partir da carruagem onde D. Carlos foi assassinado. O historiador das mil e uma Histórias morreu esta sexta-feira de manhã, na sua residência, em Setúbal. Tinha 92 anos.

Nascido a 3 de outubro de 1919, em Leiria, Hermano Saraiva ingressou na Universidade de Lisboa, onde se licenciou em Ciências Histórico-Filosóficas e em Ciências Jurídicas.

Foi professor, advogado, procurador, embaixador, escritor, comunicador e político durante o Estado Novo.

Em 1971, José Hermano Saraiva iniciou uma colaboração com a RTP, tendo imortalizado programas como “Horizontes da Memória”,  “Gente de Paz”, “O Tempo e a Alma”, “Histórias que o Tempo Apagou” e “A Alma e a Gente”.

Como escritor, um dos seus livros mais conhecidos é a “História concisa de Portugal”, já na sua 25ª edição. No entanto, José Hermano Saraiva publicou perto de 20 títulos históricos, entre eles “Uma carta do Infante D. Henrique”, “O tempo e alma”, “Portugal – Os últimos 100 anos”, “Vida ignorada de Camões” ou “Ditos portugueses dignos de memória”.

Como curiosidade, fica a saber que Hermano Saraiva ficou no 26º lugar do concurso da RTP os “Cem Grandes Portugueses”, no qual António Oliveira Salazar se sagrou vencedor, tendo sido o mais votado pelos portugueses.

Partilhar

Comente este artigo

Please enter your comment!
Please enter your name here

*