Festivaleiros mas poupados!

 

Verão não é verão sem sol, idas à praia e… Concertos nos diversos festivais. O problema é escolher. A oferta é muita e variada e é normal quereres ver tudo! Mas como em tudo na vida, há que fazer opções. Começa por definir quanto podes gastar com este tipo de atividades. Depois, analisa os cartazes com muita atenção para perceberes onde não podes mesmo faltar.

Posteriormente, vê quais os custos envolvidos, nomeadamente, o valor da entrada no festival ou no concerto, os custos de deslocação, o alojamento e as refeições. A ida a um festival perto de casa implica gastos muito diferentes face à necessidade de uma deslocação. Fala com amigos e familiares, pois pode ser possível diminuir os custos se fores em grupo. Por exemplo, ir de carro pode sair mais económico se forem várias pessoas. Mas atenção, esta opção terá de ser sempre comparada com a possibilidade de ir de transportes públicos, uma vez que em alguns casos, são feitas ofertas especiais para este tipo de eventos. Quem sabe se não tens um familiar ou amigo que resida perto do local do concerto e te ofereça alojamento? Caso isso não aconteça, avalia a hipótese de acampares, é sempre uma solução económica e divertida, além de que permite o contacto com a natureza. Em alguns casos, sobretudo quando estamos a falar de eventos fora das cidades, é possível acampar no recinto do festival.

No que diz respeito a refeições, há que comer de forma saudável e económica. Comer em restaurantes sai sempre mais caro e nem sempre é saudável. Assim, e dependendo do local para onde vais – uma vez que pode estar afastado das zonas de comércio –, sugiro que procures levar alguns alimentos que não se estraguem e que sejam fáceis de transportar, nomeadamente, pão de forma, néctares, leite, atum, temperos para saladas, assim como produtos de higiene. Para o primeiro dia, podes levar alguns salgados ou massas já preparadas. Adota a moda do saco térmico para conservares os alimentos. Depois, se estiveres perto de uma zona comercial, compra saladas e prepara-as tu. Faz uma pesquisa para te informares o que há na zona, antes de tomares qualquer decisão e comprares o bilhete. Fazer a organização das refeições em grupo pode ser vantajoso e menos cansativo para cada um, já para não falar que terás, certamente, refeições mais variadas. Não há um segredo ou uma poção mágica que nos permita poupar, é preciso fazer contas e ver o que é mais benéfico. Há que estudar diferentes hipóteses para a mesma situação. Para o mesmo festival podes gastar quantias completamente distintas, tudo depende das opções tomadas.

As redes sociais podem ser uma boa ajuda neste tipo de planeamento, não só para a formação de grupos, como para perceber se há alguém na zona que te possa acolher ou facultar transporte. E, muito importante, antes de comprares o ingresso de entrada, pesquisa bem se há passatempos a que possas concorrer ou outras formas de conseguires o ingresso a preços mais reduzidos. As marcas que se associam aos eventos costumam desenvolver iniciativas em que oferecem entradas. Está atento e participa, quem sabe não serás um dos felizes contemplados e consegues poupar o preço do bilhete!
Com podes ver, o planeamento é a base do controlo dos gastos. Tudo depende de ti e da tua capacidade de gestão das finanças pessoais!

Serões caseiros

E, porque antes dos festivais há muito que estudar, aqui ficam algumas dicas para distraíres o corpo e a mente sem grandes gastos e aproveitando todo o tempo disponível!
Convida os amigos e juntem-se, ao final do dia, para ver um filme lá em casa.

Com o bom tempo, faz uma caminhada ou um passeio de bicicleta. Pela praia ou pelo campo, sabe sempre bem. E que tal um jantar em grupo com a refeição confecionada por todos, seguido de uma sessão de karaoke ou de um jogo de mesa? Se tens um amigo ou familiar com uma casa de praia ou campo, podes ir para lá uns dias. Será, certamente, uma forma de estudares e relaxares, já que sais do teu quotidiano.

Sobre a autora deste texto

Susana Albuquerque é Secretária-Geral e coordenadora do Programa de Educação Financeira da ASFAC – Associação de Instituições de Crédito Especializado. A também autora do livro “Independência Financeira para Mulheres” colabora mensalmente na revista Mais Superior para te dar dicas práticas que poderás aplicar no teu dia-a-dia.

[Foto: Ian Wilson @ flickr]

Artigos Relacionados:

Deixar uma resposta