Ao som da Queima

0
796

Já se sabe que Queimas das Fitas e Semanas Académicas não são festivais de música e não se resumem exclusivamente a ela. Podes querer ir pelo simples convívio ou porque a barraquinha da tua faculdade precisa de ajuda, por exemplo. Mas um bom cartaz é sempre importante. Vamos então a saber o que há para ouvir de uma ponta à outra deste nosso Portugal académico.

É discutível e até criticável, mas não há dúvida que a Semana Académica de Lisboa apostou forte na diferenciação: provavelmente, o nome “Vengaboys” até te põe os olhos a saltar das órbitas. Vêm da Holanda, são mais conhecidos que túlipas, nasceram em 1997 e tudo nas suas vidas se passou a correr. “Boom boom boom boom, I want you in my room”, era o que trauteavas no intervalo das aulas (ou na pista da discoteca dos meninos da escola, para os mais precoces) e era também um dos motivos pelos quais os Vengaboys andavam a vender discos platinados. Em 98 lançavam o primeiro, “The Party Album!”, que incluía outras preciosidades como “We’re Going to Ibiza” ou “We Like to Party”. A saída era tanta (perto de 2 milhões de discos vendidos só no Reino Unido) que em 99 já não iam de modas e lançavam “Greatest Hits”. 2000 é o ano do último álbum, chamado “The Platinum Album” por alguma razão, e a partir do ano seguinte só se ouve falar de separação. Afinal, o adeus não foi definitivo e os Vengaboys estão preparados para recordar um bocadinho da dance music dos anos 90.

Da Alemanha, com muito reggae e dancehall

Vêm os Pow Pow Movement para te pôr a mexer de forma bem diferente. Não são propriamente uma novidade nos palcos portugueses, só no festival Sudoeste estiveram em 6 edições seguidas, de 2005 a 2010, mas são um dos soundsystems mais importantes do género. Estarão no Terraplano de Santos (é verdade, desta vez é a Av. 24 de Julho a receber a festa) no dia do encerramento, 5 de maio, que será fechado no palco Moche! por um Gentleman, alemão que também já anda há vários anos a distribuir reggae pelos ouvidos lusitanos. A dupla italiana Crookers, ainda na capital, é uma boa novidade, que é coisa que não podemos chamar a Steve Aoki (novidade, porque bom é certamente): depois de estrondosas atuações no Palácio da Tapada da Ajuda, no Optimus Alive ou na discoteca Loft, o americano que te faz perder o controlo (e pensar em arroz chau-chau), começa em Coimbra a 10 de maio, avança para a invicta a 11 e termina no dia a seguir, bem mais abaixo, para encerrar a Semana Académica do Algarve.

E para fechar…

Os destaques internacionais ficam completos com dois nomes: Travis, que não te saem do ouvido de cada vez que embalam num “but if you sing, sing, sing, sing” e que já se chamaram “Glass Onion” (ou “cebola de vidro”), em homenagem a uma das suas grandes influências, os fantásticos quatro de Liverpool, Beatles; e os The Hives, suecos de acordes bem rasgados, ainda mais vibrantes ao vivo, onde acrescentam a particularidade de andar sempre muito bem vestidos – o quinteto sai do backstage impecavelmente composto em fatos pretos e brancos. Felizmente, costumam sair do palco um bocadinho mais desarranjados.

É nacional, é repetido e é bom

Quando se fala de cartazes para Semanas Académicas é fácil adivinhar que muitos deles vão estar preenchidos com artistas portugueses. Não só fica mais barato, como é um belo incentivo à música feita por cá e uma celebração da nossa cultura (sem patriotismos exagerados, claro).Quim Barreiros Como tal, este ano confirma-se o hábito: não só temos bandas e artistas portugueses, como a maior parte deles não se limita a uma cidade. Percorrem o país e há quem seja presença de norte a sul da Queima. Ora vejamos: qualquer que seja a tua escolha, é quase certo e sabido que vais ver “os peitos da cabritinha”, já que o inevitável Quim Barreiros vai estar em nada menos do que… Dez Semanas Académicas – por ordem alfabética, Bragança, Castelo Branco, Coimbra, Covilhã, Famalicão, Lisboa, Porto, Santarém, Vila Real e Viseu;outro Quim, o Roscas, acompanhado pelo fiel Zeca Estacionâncio, espalha uma mixórdia de sotaques por Algarve, Bragança, Porto e Viseu; Boss AC, que à sexta-feira toma de assalto as rádios portuguesas (“yeah!”), tem três concertos confirmados; os Expensive Soul, quatro, o mesmo número que outra espécie de lenda ou mito da música portuguesa, os Xutos & Pontapés (se nunca os viste ao vivo, ou largaste as fraldas ontem ou a maioria dos festivais não quer nada contigo), que estarão no Queimódromo do Porto, no Gatódromo de Braga e nos qualquer-coisa-ódromo de Algarve e Bragança.

Super DJ Fernando Alvim

A lista fica completa com os Buraka Som Sistema, a fazerem o pedido de sempre – “abana o esqueleto” no Algarve, em Bragança, Coimbra, Porto ou Viseu.Para além dos mais assíduos, ainda há destaque a dar a alguns repetentes, como Klepht, José Cid, Rui Veloso, DJ Ride, DJ (e muitas outras coisas) Fernando Alvim, Os Azeitonas, Richie Campbell, Capitão Fausto, doismileoito, Supernada e Linda Martini. Muito havia a dizer sobre todos eles, mas o que conta é que, cada um à sua maneira, estão em preparação para te abrilhantar as noites trajadas.

E quanto é que me vai sair do bolso?

Isso depende sempre de ti. Há cerveja barata, é certo, mas se quiseres rebentar com o balão (sopra antes de pegar no carro, como a tua mãe te avisou), é provável que tenhas de abrir o porta-moedas mais vezes do que desejarias. Podes optar por beber pouco ou não beber, o que é sempre mais saudável. Além disso, e como a Mais Superior não se cansa de te avisar nesta edição, há outras vantagens relacionadas com o fundo do teu bolso (às vezes escorrega tanto dinheiro que parece que o rasgaste) e que deves ter em conta.

Assim sendo, preocupa-te com o preço das entradas. Podes beneficiar de descontos por seres estudante de determinada universidade ou, nalguns casos, por ires trajado, mas prepara-te para o que é mais comum – os passes para todos os dias das Queimas variam entre os 25 e os 55 euros, preço de estudante, enquanto os bilhetes diários podem ir dos cinco aos 15 euros. Tu podes ir ao que quiseres, desde que mantenhas a compustura e saibas aproveitar. Olha que, um dia, os tempos de faculdade acabam e, adivinha só… Nunca mais voltam.

Os vídeos promocionais já andam por aí.

[Fotos: covers.box3.net, moviemazz.blogspot.com, fernandoalvim.com]

Partilhar

Comente este artigo

Please enter your comment!
Please enter your name here

*