IRS: está na altura!

0
3650

Já ouviste falar do IRS? O IRS – Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares é a percentagem dos rendimentos que as pessoas recebem, por exemplo o seu salário, que é entregue ao Estado para comparticipação das despesas públicas – por exemplo a construção e manutenção de hospitais, estradas, escolas, etc. Assim, todos os anos os contribuintes estão obrigados a entregar a sua declaração de IRS. 

Para quem trabalha por conta de outrem, abril é o mês de entrega da declaração de IRS através da internet. Para quem é trabalhador independente, maio é o mês para apresentar contas ao Fisco.

Se esta é a primeira vez que tens de fazer a declaração de IRS, começa por pedir a tua senha de acesso no site das finanças. Mas atenção, não deves deixar para o final, já que os serviços demoram até cinco dias a enviar os códigos de acesso havendo penalizações, no montante mínimo de 50 euros, pela entrega fora do prazo.

No que diz respeito ao tipo de despesas a considerar, podes deduzir 30% das despesas com educação, até um limite máximo de 760 euros. São aceites despesas com inscrições e propinas, quer de escolas públicas, quer de privadas, tanto para licenciaturas, como pós-graduações, mestrados ou doutoramentos. Também as faturas de material escolar, livros, explicações, alojamento caso estejas fora da tua área de residência e ensino de línguas são aceites.

Na área da saúde, não há um limite máximo, sendo possível deduzir 30% de todas as despesas efetuadas. No entanto, é preciso ter em conta que as despesas isentas de IVA ou com taxa de 6% serão todas consideradas. Já as despesas taxadas a 23% de IVA só serão consideradas quando há uma prescrição médica. Mas atenção, porque para este tipo de despesas o limite é de 65 euros ou 2,5% do montante total das despesas de saúde.

As faturas, para serem consideradas, devem conter obrigatoriamente o nome do contribuinte ou o seu número fiscal.
Se tiveres direito a reembolso, 20 dias é quanto tempo terás de esperar para receber o teu dinheiro. Além da rapidez no tratamento dos dados, e da facilidade de todo o processo, fazer o IRS através da internet também permite simular o valor a pagar ou a receber. Este é um ponto muito importante para gerires o teu orçamento. Se a simulação indicar que vais receber, sugiro que definas um objetivo para este dinheiro, para que não se gaste sem dares conta. Podes investi-lo, de forma a fazeres ou complementares um pé-de-meia. Se houver lugar ao pagamento, deves começar de imediato a poupar dinheiro para efetuar o pagamento.

Para começar, sugiro que juntes todas as faturas de 2011 e as separes por tipos de despesa (educação, saúde com IVA a 6% e com IVA a 23%, para as quais necessitas de juntar uma cópia da receita médica). De seguida, pega numa calculadora e faz os somatórios. E pronto, agora é só ires ao Portal das Finanças, à secção Cidadão, preencher a declaração e posteriormente entregar na secção de IRS.

IRS Solidário
Sabias que é possível, sem qualquer custo para ti, doares 0,5% do teu IRS? Além das campanhas das diversas instituições, no portal das finanças está disponível uma listagem com todas as entidades beneficiárias. Elege uma, a que consideras que deve receber o teu contributo pelo trabalho desenvolvido em prol da comunidade, e identifica-a no espaço existente para o efeito na declaração. Esta é uma forma de contribuíres para uma causa social, sem teres de despender de dinheiro.

Sobre a autora deste texto

Susana Albuquerque é Secretária-Geral e coordenadora do Programa de Educação Financeira da ASFAC – Associação de Instituições de Crédito Especializado. A também autora do livro “Independência Financeira para Mulheres” colabora mensalmente na revista Mais Superior para te dar dicas práticas que poderás aplicar no teu dia-a-dia.

[Foto: bobt54 @ Flickr]

 

Partilhar

Comente este artigo

Please enter your comment!
Please enter your name here

*