Arranjar emprego é uma ‘carga de trabalhos’

0
1893
Ricardo Dias - Carga de Trabalhos

Quando se diz que “a necessidade aguça o engenho” é verdade, pelo menos a julgar pelo golpe de vista de Ricardo Dias, o criativo que depressa percebeu que encontrar uma vaga de emprego na área da comunicação era uma verdadeira ‘carga de trabalhos’, já que não havia um espaço que desse resposta às solicitações de quem se encontra desempregado. Solução?

Criar o carga de trabalhos, um blogue que hoje em dia tem forma de site, sendo um dos mais visitados por quem procura uma oportunidade de trabalho, tanto que “há ofertas que nem sequer permanecem 24 horas no site, porque a caixa de e-mail já está ‘entupida’”!

O que é que andavas a fazer em 2004 e como é que, de repente, te lembraste de ‘inventar’ o carga de trabalhos?

Foi entre transição de empregos, em agosto de 2004, que nasceu o carga de trabalhos. Eu procurava emprego na área criativa (queria voltar à profissão de copywriter, depois de uma experiência que não gostei na área do guionismo) e, na altura, era uma “carga de trabalhos” encontrar qualquer vaga a não ser através de amigos, conhecidos ou ligando diretamente para as agências de publicidade.
Aí detetei a inexistência de um espaço que desse resposta às solicitações de emprego na área. Foi praticamente nesse mesmo instante que deitei mãos à obra e criei um simples blogue que divulguei junto de amigos e ex-colegas que, por sua vez, passaram a palavra.

Porquê a área da comunicação e não outra? Não têm surgido pedidos para haver um carga para outras áreas?

Formei-me em Comunicação Empresarial, que engloba várias áreas, desde a Publicidade ao Jornalismo, Marketing, Relações Públicas, etc. Decidi fazer um site que pudesse abranger e ajudar todos os meus colegas de faculdade, que tinham seguido as várias áreas do nosso curso. 
Chegam-me ofertas de emprego das mais variadas áreas, mas carga de trabalhos só há um e é exclusivo ao setor da Comunicação. E este site já é uma verdadeira carga de trabalhos para gerir, mais um seria complicado pelo tempo que necessita diariamente.

Em sete anos, quais são as principais diferenças entre o projeto do carga de trabalhos que idealizaste e o que tens agora?

Muita coisa mudou nestes sete anos de existência. Um ano depois do blogue ter nascido, criei um site próprio para dar ao carga de trabalhos uma identidade mais profissional. Desde então, o número de utilizadores, de visitantes e de ofertas tem vindo a aumentar. E também o próprio carga foi mudando aos poucos e apresentando novas funcionalidades, novas ferramentas para tornar o espaço mais completo e melhorar a experiência dos utilizadores no carga.

Quais têm sido os feedbacks a nível das empresas e dos utilizadores? Há quem te escreva a dizer que arranjou emprego graças a um anúncio no teu site?

O feedback é muito positivo. As empresas ficam sempre surpreendidas com o sucesso do carga de trabalhos e o número de candidaturas que lhes traz. O retorno é tão grande no número de candidaturas que há ofertas que nem sequer permanecem 24 horas no site, porque a caixa de e-mail já está ‘entupida’. Mas muito poucos utilizadores contactam o carga para dar feedback sobre o sucesso das suas candidaturas. Até hoje não devo ter recebido mais de dez contactos nesse sentido. E já foram colocadas mais de 40 mil ofertas ao longo dos anos de existência do carga.

carga de trabalhos

És tu que geres o carga de trabalhos sozinho ou tens mais pessoas que te ajudam?

Sim, sou o gestor e o único que trabalha diariamente no carga. Vou tendo alguma ajuda a nível de programação quando se trata de coisas mais complicadas e que vão para além dos meus escassos conhecimentos na matéria.

Com tanto sucesso, já te quiseram comprar o site?

Já houve uma oferta, que recusei. Não pretendo vender o carga de trabalhos. É uma paixão fazer o que faço desde 2004 com o carga e não me consigo imaginar sem esta rotina diária.

A nível de estatística: quantas visitas mensais tens atualmente no carga de trabalhos? A crise tem aumentado o número de visitas?

Tenho notado um ligeiro aumento no número de visitas. Mas, de um modo geral, ao longo dos anos o número de utilizadores tem vindo a aumentar. Há sempre gente nova a descobrir o carga de trabalhos.
Por exemplo, no passado mês de janeiro de 2012 o carga teve 260 mil visitas. As ofertas também vêm a aumentar de ano para ano. Em 2010 o número de ofertas colocadas rondou as 9300. No ano passado foram 14800 ofertas colocadas, um aumento considerável em relação ao ano anterior.

Criatividade não lhe falta!
Ricardo Dias, mentor do site carga de trabalhos, tem 34 anos, uma Licenciatura em Comunicação Empresarial no ISCEM – Instituto Superior de Comunicação Empresarial e um curriculo invejável no que toca a criatividade. Além de ter portugueses aos milhares a receber alertas de emprego nas suas caixas de correio eletrónicas, Ricardo é copywriter numa agência de publicidade, tendo sido um dos criativos responsáveis pela campanha do Paulo Futre para o Licor Beirão e a do Zezé camarinha para o Wall Street Institute… Quem não se lembra delas?

Futre na campanha do Licor BeirãoZezé Camarinha em campanha do Wall Streat

[Foto: Ricardo Dias]

Partilhar

Comente este artigo

Please enter your comment!
Please enter your name here

*